Arquivo

Archive for 26/08/2009

De olho numa vaga pública de TI

Que profissional não procura estabilidade, bons salários e possibilidade de crescer na carreira? A cada ano, esses três fatores mobilizam milhares de brasileiros a prestar concurso público. Ao contrário do que muitos pensam, há diversos concursos com vagas voltadas para o setor de TI. Contudo, se o número de oportunidades é grande, a concorrência é extremamente maior.

A maioria dos candidatos segue dois perfis: jovens a partir dos 18 anos, que circundam aí uma chance de conseguir emprego sem esbarrar na

Concurso+Publico+2009

inexperiência, e profissionais de 35 a 40 anos que procuram que buscam o outplacement (recolocação profissional) no mercado.

A principal dica para passar nos exames é simples: estudar. Existem duas maneiras de fazer isso, em cursinhos especializados ou em casa, com apostilas específicas ou pela internet. O ideal é que o candidato estude o conteúdo do edital e faça provas antigas.

Com cursinho ou sem, o que será cobrado está relacionado no edital do concurso, e é isso que deve ser estudado. O candidato deve realizar as provas anteriores como treinamento e também para se acostumar com a forma de ser indagado sobre a matéria do edital.

Na hora de fazer o exame, a orientação é começar pela matéria que você mais gosta e tem familiaridade.

Confira os concursos que estão abertos no país:

Companhia Pernambucana de Saneamento Prazo: 6 de setembro de 2009 Salário: até R$ 3.952,50 Cargo: Analista de TI Edital: http://www.ipad.com.br/compesa2009/

Companhia de Informática do Paraná Prazo: 10 de setembro de 2009 Salário: até R$4.054,00 Cargos: Nível médio, técnico e superior para Analista de Informática Júnior – desenvolvimento de sistemas. Edital: http://www.cops.uel.br/

Polícia Rodoviária Federal Prazo: 11 de setembro de 2009 Salário: até R$5.620,12 Cargo: Apenas nível superior. Edital: http://www.funrio.org.br/

Ministério do Planejamento Prazo: 11 de setembro de 2009 Salário: até R$5.843,28 Cargo: Analista em Tecnologia da Informação Edital: http://www.funrio.org.br/

Furnas Prazo: 27 de setembro de 2009 Salário: Níveis superior e técnico serão respectivamente R$ 3.298,06 e R$ 2.245,88 Cargo: Analista e Técnico de TI Edital: http://www.funrio.org.br/

Mais dicas sobre o que são concursos publicos, quais os cargos, como se criam cargos publicos e muito mais sobre o assunto, acesse: Conexão VIP

Fonte: Revista TI

Finalmente são aprovadas normas da internet via rede elétrica

internet

Após dois adiamentos, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), aprovou nesta terça-feira (25/08/2009), as normas para utilização de internet banda larga via rede elétrica. A tecnologia empregada é a PLC (Power Line Communications), que também capta sinal de TV por assinatura.

Após aprovada, agora a comercialização da internet via rede elétrica depende de um entendimento entre as fornecedoras de energia elétrica e as empresas de telecomunicações. A previsão para início da oferta do serviço é de, no mínimo, daqui a cinco meses.

O lado positivo da internet via rede elétrica é que a infra-estrutura está disponível em quase todo o Brasil, possibilitando o acesso em regiões onde os serviços atuais não chegam. Mas, mesmo alcançando longas distâncias, o sinal pode se perder nos transformadores, diminuindo a velocidade da conexão.

O preço do novo tipo de acesso a internet deve ser mais barato do que os disponíveis no mercado atualmente e, teoricamente, a velocidade da conexão pode chegar a 21 Mbps.

Acompanhe nos links abaixo as matérias sobre o assunto postadas aqui, no Domínio TI:

Decisão da Aneel sobre banda larga via rede elétrica é adiada.

Uso da rede elétrica para tráfego de Internet poderá reduzir custos.

Veja também a reportagem em vídeo elaborada pela equipe do Olhar Digital:

Profissional de TI sob pressão

pressão profissional, stressNo setor de TI existe atualmente uma demanda muito forte para projetos de grande complexidade e que precisam ser entregues em prazos cada vez mais curtos. Neste cenário, o profissional de tecnologia precisa estar preparado para trabalhar sob forte pressão em determinados momentos.

Essa pressão tem seu aspecto positivo, caráter motivacional e até uma alternativa de desacomodar o profissional. Contudo, se há quem trabalhe melhor quando pressionado, há quem simplesmente trava frente a essas situações. Trabalhar continuamente sob pressão pode acabar desestimulando o profissional e, eventualmente, gerando problemas de ordem pessoal, familiar e até mesmo de saúde.

Muitos profissionais acabam acumulando diversas funções, a pressão em empresas do setor acaba sendo inevitável. Entretanto, o ato de pressionar deve ser exercido em situações extremas.

Se ficar pressionando todos os dias, o profissional ficará com uma carga de estresse maior e não permanecerá muito tempo na empresa, trazendo nesse caso até um prejuízo. Alguns profissionais carregam já uma bagagem de outras empresas que têm uma cultura de pressão, sendo assim, eles já estão mais “acostumados” à situação e conseguem responder à necessidade melhor quando estão sob pressão, porém nem todos têm isso no DNA.

Em alguns casos, pressionar pode ser um modo de fazer com que o profissional não se acomode. A pressão depende também da iniciativa e postura de cada profissional. Muitas vezes, a pressão é sim um fator que contribui para que o colaborador não se acomode, principalmente em períodos pontuais dos projetos.

Isso ocorre porque quando a equipe visualiza a entrega de um projeto num período muito longo ou quando não há uma cobrança mais efetiva, há uma acomodação natural e as pessoas tendem a achar que sempre vai dar tempo e podem cometer o erro de deixar para depois.

A área de tecnologia possui metas e objetivos muito claros. Portanto, ele pensa que se o cronograma for discutido entre as partes envolvidas (cliente, usuários e profissionais de TI) durante o desenvolvimento do projeto, a pressão será desnecessária.

Todo o dinamismo desta área de atuação elimina qualquer acomodação dos profissionais. Não se trata de pressão, mas sim da clareza das metas, objetivos, atividades, prazos que são amplamente discutidos em reuniões iniciais, de posicionamento e outras.

Transparência nos objetivos, nos critérios de avaliação e um acompanhamento efetivo podem trazer melhores resultados. Isoladas, ações motivacionais e de incentivo possuem efeito pontual. Elas devem ser combinadas com outras ferramentas de gestão.

Fonte: Revista TI

Entenda o conceito da neuro propaganda

Olá saudosos leitores. Há alguns dias, quando chego na copa (cozinha para os leigos ;P) da Honda, pego meu copo com leite puro (não gosto de café) e meu pão com margarina Qualy Cremosa… gentilmente cedidos pela empresa, sento no canto da mesa reservado à minha pessoa, assistindo as noticias do Bom dia Brasil, sempre um intervalo antes de passar o cartão exatos 5 minutos antes das 8 da manhã, pontualmente passa a seguinte propaganda da Intel:

Para os mecânicos ao meu lado essa propaganda não significa grande coisa. Pode até não significar nada. Mas para mim… é o que há de mais brilhante em marketing. Este comercial realmente prende a minha atenção. Mas porque tal fenômeno com essa propaganda especifica?! Antes passam tantas outras, mas todos os dias eu sei que naquele exato horário, aquele comercial será exibido. Isso se chama neuro propaganda.

As empresas estão usando cada vez mais as descobertas da neurologia para produzir comerciais irresistíveis, que consigam infiltrar na fronteira final: o seu cérebro.

Uma matéria da Superinteressante de agosto (2009) trata exatamente sobre este assunto que vem ganhando grande importância. Segundo dados divulgados na Super, são exibidas em média 90 propagandas por dia, todos os dias, contando somente as exibidas pela TV. Sem somar os banner que vemos quando acessamos sites de notícias, portais de tecnologia, blogs que tentam ganhar alguma grana e penduram os varais em suas páginas como uma barraquinha de feira livre, outdoors nas ruas, faixas etc.

O problema é que, quanto mais as empresas tentam marretar informações em nossas mentes, menos damos atenção a elas: de cada 100 propagandas, 92 são automaticamente ignoradas. Mas e se fosse possível usar as ultimas descobertas sobre o cérebro para mudar o jeito de fazer publicidade, criando anúncios que fossem irresistíveis para a mente do consumidor?

Diversas empresas já aderiram o neuromarketing em suas publicidades. Podemos notar que recentemente no Youtube, aparecem algumas tarjas publicitárias sobre os vídeos. Isso porque a empresa, em pesquisa, constatou que essa prática não irrita os usuários. Eles que pensam, pelo menos a mim irrita. Seria uma nova modalidade de pop-up?! Não deixa de ser… teremos que inventar o bloqueador de tarjinhas chatas de vídeos do Youtube.

Nessa mesma linha de pesquisa, uma TV inglesa constatou que, por algum motivo, as propagandas veiculadas de manhã têm mais impacto sobre o cérebro.  Deve ser por isso que o ápice do meu dia é quando passa o comercial da Intel.

E porque a maioria dos comerciais tem algum tipo de conteúdo ou insinuação sexual? Há uma empresa de engenharia aqui em Ribeirão Preto (que por motivos éticos e legais não citarei o nome, para ninguém ficar sabendo… que é a MRV Engenharia) que sempre coloca uma bela moça, mostrando seus dotes em suas propagandas. Afinal, o que tem haver isso com construção civil? Você já deve ter ouvido a expressão “sexo vende”. Essa expressão pode estar caindo de conceito. Em estudos feitos em 2007 pela Universidade de Londres, as propagandas com mulheres e homens bem afeiçoados (uso este termo, pois bonito é uma palavra bastante relativa) são menos lembradas pelos expectadores, pois prestam mais atenção na pessoa do que na própria marca. Realmente “sexo não vende”.

Programas humorísticos ou violentos também são ruins para os anunciantes, porque fazem as pessoas esquecerem-se das propagandas, e dá mais resultado colocar anúncios em shows que não sejam relacionados ao que você quer vender (anunciar um carro num programa de culinária, por exemplo).

Nem todas as descobertas são positivas. Umas delas é perturbadora. As propagandas subliminares, que trazem mensagens escondidas (e parecem coisa de conspirador maluco), realmente fazem efeito. Sabe aquelas musiquinhas de fundo que tocam nas lojas? Elas podem ter mensagens escondidas. Numa experiência polêmica, 50 lojas de departamentos e supermercados dos EUA começaram a tocar musiquinhas que continham uma mensagem subliminar: “Eu sou honesto, e não vou roubar”. Essa frase era repetida muito depressa, 150 vezes por minuto, e num tom extremamente baixo; ou seja, era completamente inaudível. Mas deu resultado: a quantidade de furtos caiu 37%. Um teste similar, só que com mensagens do tipo “comprar é bom”, aumentou as vendas em aproximadamente 15%.

Não é agradável pensar que a publicidade possa agir no subconsciente e nos obrigar a consumir, sem que nem mesmo percebamos o que está acontecendo. Por isso, o neuromarketing também atraiu opositores. Uma ONG americana fez campanha para convencer o Congresso do EUA a proibir o uso de técnicas neurocientíficas na propaganda.

Um site bastante interessante sobre este assunto, que tenta demonstrar imparcialidade, exibindo mitos e fatos sobre as mensagens subliminares e neurociência, é o Projeto Ockham. Vale a pena acessar e ver o acervo de mitos e verdades sobre as táticas de intrusão mental adotados pela mídia.

Todo este assunto parece muito obscuro pra você?! Pra mim também! Prefiro sentar todos os dias na mesa da copa da Honda, comer meu pão com leite e ver a propaganda mágica da Intel sem perceber que estou sendo alvo de uma conspiração neurocientifica.  Abraços e pesquisem sobre o assunto. É fascinante ao mesmo tempo de intrigante.

%d blogueiros gostam disto: