Arquivo

Archive for setembro \29\-03:00 2009

São Paulo tem 200 vagas de estágio em TI

O Centro de Integração Empresa Escola (CIEE) está oferecendo 200 vagas de estágio para a área de TI em São Paulo.

O foco do processo seletivo são estudantes do segundo ao penúltimo semestre de todos os cursos de nível superior em tecnologia para atuar no projeto Siga Saúde, o sistema de informatização dos estabelecimentos de saúde da rede pública municipal.

Os aprovados trabalharão fornecendo suporte técnico aos profissionais da rede para sua operacionalização.

O contrato de um ano prevê bolsa estágio de R$ 484,21 para a jornada padrão de quatro horas diárias. O auxílio-transporte é de R$ 112,20. Caso seja de interesse da prefeitura, o contrato pode ser prorrogado por mais um ano.

As inscrições vão até quarta-feira, 30, e devem ser realizadas pelo telefone 11 3046-8241, ou pessoalmente, na sede ou em qualquer posto de atendimento do CIEE. A seleção prevê a realização de provas de redação e dinâmicas de grupo, que ocorrerão na sede da organização (Rua Tabapuã, 540, São Paulo/SP), entre os dias 30 de setembro e 2 de outubro.

Fonte: INFO

Jovens procuram cada vez mais o sucesso instantâneo

Jovem ProfissionalInspirados no sucesso de diversas empresas na web, jovens empreendedores passaram a almejar o sucesso imediato em suas carreiras.

A geração Y, como é chamada a juventude de hoje, que chega agora ao mercado de trabalho, tem como ídolos os milionários de empresas “ponto.com” como Mark Zuckerberg, criador do Facebook. Ele fez sua fortuna relativamente cedo, aos 25 anos.

Como os jovens cresceram com acesso rápido e fácil a tudo, acham que a vida também vai ser assim. Por isso já chegam ao mercado de trabalho com expectativas ilusórias de sucesso rápido e acabam se tornando tratores, atropelam os outros, ambicionando muita recompensa por pouco resultado, o que leva a frustração.

Há a necessidade de guiar essa nova força de trabalho que sofre com as diferenças de valores entre uma geração e outra. O resultado da ambição sem limites pode levar a crises existenciais precoces, aos 25 anos de idade ou antes.

O que se deve tentar fazer é amadurecer, no sentido de lidar melhor com a frustração, reavaliar expectativas ilusórias e, mais do que tudo, lidar melhor com pessoas. Infelizmente tem sido comum os jovens serem brilhantes em aspectos tecnológicos, mas pouco desenvolvidos na capacidade interacional. Eles acham que sua capacidade intelectual vai ser suficiente para ter sucesso e se frustram quando descobrem que não estão preparados para lidar com pessoas.

Há uma reclamação constante das empresas em relações aos novos profissionais, que se recusam a serem liderados. Entendida como falta de humildade pela companhia, a característica é fruto da falta de sabedoria para lidar com a quantidade de informações disponíveis para os jovens.

Aqueles que não aprendem isto estão se frustrando e tendo experiências ruins logo no começo da sua vida profissional, o que os leva a desanimar rapidamente. Em nome do sucesso instantâneo, estão tendo atitudes que fazem o sucesso demorar ainda mais.

Como diria aquele velho ditado, você tem duas orelhas e uma boca para OUVIR MAIS e FALAR MENOS.

Leia também: Desenvolva sua liderança

Fonte: INFO

Retuite este post

IPT abre vagas de estágio na área de TI

CorporativoO IPT, Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo, abriu processo seletivo para vagas de estágio na área de TI. Estudantes de cursos superiores, do segundo ao quinto ano, e do ensino médio poderão fazer a inscrição até o dia 5 de outubro.

A primeira etapa da seleção será composta por uma prova de conhecimentos e/ou de competências. Os candidatos que passarem à segunda fase serão submetidos a uma entrevista técnica. A contratação dos selecionados será no início do próximo ano.

Os estudantes contratados trabalharão na sede do IPT, localizada na Cidade Universitária em São Paulo, e na filial em Franca. Os interessados podem se inscrever neste site de vagas do IPT.

Fonte: Olhar Digital.

Brasil está longe de atingir maturidade de infraestrutura em TI

TecnologiaA elite das empresas que atuam no Brasil ainda está longe de atingir o nível de maturidade desejado quanto ao uso de infraestrutura de TI. Pelo menos essa foi a constatação feita pelo estudo Brazil Infrastructure Maturity X-Ray, divulgado na última quarta-feira (23/9), pela consultoria Accenture e pelo instituto de pesquisa IDC.

Inédito no País, o levantamento ouviu 150 companhias de grande porte, entre agosto e setembro. Seu principal objetivo foi mapear o cenário da TI das empresas e medir o grau de evolução tecnológica de suas operações.

O Brasil apresentou nível 2,4 de maturidade, enquanto a média mundial é 4. O esperado era pelo menos o nível 3.

A avaliação teve como base, as melhores práticas de gestão de TI, a biblioteca ITIL, considerada hoje o backbone dos projetos de infraestrutura. Embora o mesmo estudo revele que 50% dos entrevistados dominem o padrão ITIL, quando o ideal seria que esse índice fosse de, no mínimo, 75%.

A metodologia envolve níveis que vão de 1 a 5 (informal, repetido, definido, controlado e otimizado). Esse cenário é preocupante já que o Brasil desponta como uma das economias que mais crescem em investimentos de TI e Telecom, superando os países da América Latina e deixando para trás Coréia e Índia, entre os emergentes.

Um ponto relevante a observar é de que forma o orçamento de TI vem sendo usado. Atualmente, há uma concentração em gastos ligados a manutenção do parque instalado. Ou seja, do total de empresas ouvidas, 35% dos investimentos são destinados à infraestrutura existente. Quando deveriam se adotar ações voltadas a melhorias dos processos de gestão e inovação.

A pesquisa aponta também as políticas de TI Verde ainda estão em fase incipiente. A média de maturidade no Brasil ficou na casa dos 2,3, muito abaixo dos 3 desejáveis. Muito se fala em política de sustentabilidade, mas as empresas não acordarão para importância do assunto.

Fonte: COMPUTERWORLD

Twitter bate Orkut em número de usuários cadastrados

orkutxtwitter-300x123Em um ano, o serviço de microblog obteve um crescimento de 1460%; no mês de junho (2009), 7.000.000 de pessoas passaram a fazer parte dos cadastrados na rede, contabilizando um total de 44,5 milhões de visitas únicas, em todo o mundo. Os dados, divulgados no dia 04/09 (terça), pela empresa de estatísticas comScore aponta um crescimento grandioso da rede no período de um ano.

Em comparação com o mês de junho do ano passado, quando o Twitter contava com um número médio de 2,9 milhões de usuários, a rede social cresceu 1460%. Ainda de acordo com a consultoria, 45% dos usuários do microblog (cerca de 20 milhões de pessoas) estão nos Estados Unidos.

Na classificação dos maiores sites do planeta, o Twitter já ocupa a 52ª posição, ficando à frente do portal de notícias ESPN. De acordo com os números oferecidos pelo Google, o número de usuários do Twitter já ultrapassou o número total de cadastrados no Orkut, sendo em média 35 milhões de usuários em todo o planeta cadastrados na rede do Orkut, contra 44,5 milhões dos cadastrados no Twitter.

Porém, será que isso é uma realidade ainda lá fora?! O serviço de microblog conseguiu atingir esse patamar de aceitabilidade aqui, em solo tupiniquim?! Lembrando o fato que o Facebook tem mais usuários que o Orkut, porém não é o mais utilizado no Brasil, o Twitter, apesar de toda a sua repercussão, conseguiu cair na graça do povo e derrubar a rede da gigante Google?! Não é o que pesquisas de sites populares de tecnologia, como o portal Olhar Digital, demonstra de fato. Por isso o Domínio TI quer saber: afinal, qual a rede de relacionamentos que você prefere?! Vote na enquete abaixo e veja o que realmente é verdade em toda essa polêmica e mar de números.

Dados e estatísticas do portal Folha Online

@dominioti

5 perguntas sobre computação em nuvem

Cloud ComputingReinaldo Roveri, gerente de pesquisa e análise de mercado da IDC Brasil, respondeu algumas perguntas à InformationWeek Brasil sobre o tema computação em nuvem. Ele fala sobre prós e contras e dá dicas de quais aplicações testar em cloud.

InformationWeek Brasil – Por que cloud computing?

Reinaldo Roveri – Vem do conceito de internet, com a tecnologia disponibilizada em lugares que existem fisicamente, mas você não consegue identificar por ser um emaranhado de protocolos padrões que permite que todo mundo converse na mesma linguagem.

IWB – O que é uma private cloud?

Roveri – Nuvem privada significa que os recursos não estão necessariamente vinculado à internet, mas a uma rede privada com acesso restrito, seguindo preceitos de alta disponibilidade, desvinculação das camadas de software e hardware e habilidade de oferecer aplicações como serviço.

IWB – Software como serviço e virtualização são cloud computing?

Roveri – São um dos componentes e fazem parte do conceito. Computação em nuvem é mais amplo que isto.

IWB – Quais são os prós da computação em nuvem?

Roveri – Aumento da flexibilidade na entrega da tecnologia, aumento da capacidade de gerenciamento da infra por parte das equipes de TI e melhor utilização da capacidade de processamento e armazenamento disponível.

IWB – Quais são os contras?

Roveri – O conceito ainda é novo no mercado, ainda existem dúvidas com relação à segurança e problemas de disponibilidade de rede ainda estão sendo trabalhados.

IWB – O que vale a pena testar em cloud computing neste momento?

Roveri – E-mail, pacote Office, CRM, BI, aplicações de front end e sistemas menos críticos.

Leia também, notícias relacionadas a cloud computing.

Fonte: IT Web

@dominioti

O poder da Internet e das Mídias Sociais

Ótimo domingo amigos leitores do Domínio TI. Procurando algo de útil para passar o final de semana já que a TV anda um lixo podre e insultando minha inteligência, achei essa série de reportagens sobre a força da Internet e das mídias sociais. Desconsiderando as insistentes propagandas do novo portal da Record, que entrou no ar hoje (27/09), a matéria se torna bem interessante. Confira as 5 matérias sobre o poder da Internet, exibidos na reportagem especial desta semana no Jornal da Record aqui, no Domínio TI.

Parte 1

Parte 2

Parte 3

Parte 4

Parte 5

Erros de gestão comprometem políticas de segurança

Segurança da InformaçãoO sucesso das PSI (Políticas de Segurança da Informação) depende de diversos fatores, que vão desde a liberação dos investimentos necessários até a criação de regras voltadas à proteção de dados e à prevenção de incidentes. Os principais erros cometidos pelas organizações estão ligados à gestão das políticas de segurança.

Para esclarecer quais são as principais atitudes que devem ser evitadas, listamos os três equívocos mais comuns que os CIOs (Chief Information Officer) ou gestores da área de segurança da informação cometem na hora de gerenciar as políticas:

1. Não avaliar cada caso como único: é impossível que as unidades de negócio consigam ter o mesmo nível de proteção com a utilização de ferramentas similares. Cada departamento possui particularidades que podem gerar mais ou menos ameaças às companhias. O gestor de TI ou de segurança deve conhecer muito bem a realidade de cada setor da companhia para estabelecer estratégias que contemplem todos os segmentos com a mesma eficiência.

2. Fazer planos com base em ofertas de fornecedores: mesmo que a indústria esteja lançando uma solução fantástica, não significa que ela será necessária para todas as empresas. O CIO deve entender as necessidades das áreas de negócio para, então, identificar quais soluções podem ser utilizadas para saná-las. Se os gerentes departamentais não conseguirem expor objetivamente seus cenários em termos de segurança, um profissional mais capacitado deve mediar a conversa.

3. Não comunicar claramente as PSI às unidades de negócio: CIOs devem desenvolver mecanismos para expressar de forma clara e articulada quais são as regras voltadas à proteção de dados. Isso porque, sem que os usuários entendam a importância das normas para o resultado da operação não as respeitarão, fazendo toda a sua elaboração não valer de nada.

Por isso, deve-se estabelecer uma PSI complexa o bastante para abranger todos os âmbitos organizacionais, porém clara o bastante para ser compreendida por todos.

Fonte: COMPUTERWORLD

[Profissão: TI] Analista de Suporte Computacional

Analista de SuporteBom dia infomaniacs e malucos geeks que passam por aqui. Hoje estréia a primeira matéria da série Profissão: TI, que irá demonstrar as características, o perfil profissional, o mercado e demanda por profissionais especializados em diversas tecnologias. O Profissão: TI de hoje será sobre o Analista de Suporte Computacional, Técnico ou simplesmente Analista de Suporte.

A profissão de Analista de Suporte Técnico tem crescido consideravelmente nos últimos anos, causa da informatização das empresas e organizações de diferentes portes e ambientes de tarefa.

Além de um vasto conhecimento em sistemas operacionais, infra-estrutura de redes, aplicativos Office, banco de dados e hardware, o Analista de Suporte deve saber gerir também, o mais importante e mais vulnerável ponto de um sistema informatizado: as pessoas.

O profissional deve conhecer muito bem da área que a empresa atua para poder atender da maneira mais eficaz seus usuários. A segmentação setorial das organizações exige flexibilidade e dinamismo, não podendo fixar-se somente na computação para solucionar os problemas. O Analista de Suporte, dependendo da empresa, deve conhecer afundo sobre Recursos Humanos, Contabilidade, Financeiro, Vendas, Administração entre outros processos que possam envolver a informatização e a melhor qualidade no atendimento aos recursos utilizados.

Embora não seja obrigatório ter formação superior para exercer a função, o Analista de Suporte vem ganhando cada vez mais status e exigência nas empresas, forçando o profissional a se especializar cada vez mais, obtendo cursos, certificações e até a graduação superior. Comparado às faixas salariais de outros cargos em TI, o salário de um Analista de Suporte é considerado mediano, girando em torno de R$ 800,00 a R$ 2000,00, dependendo da empresa e da experiência profissional. Porém, deve ser visto como uma porta de entrada para cargos mais elevados, como Gerentes de TI, CIOs, Analista Desenvolvedor, DBA e outros, com salários mais altos.

Entre as principais atribuições de um Analista de Suporte estão:

  • Projetar e administrar redes de computadores;
  • Responsável pela segurança dos recursos da rede (dados e serviços):
  • Criação de PSI (Política de Segurança da Informação);
  • Prevenção contra invasões físicas e/ou lógicas, utilizando SDI (Sistemas Detectores de Intrusão) e alojando da melhor maneira os servidores e racks de rede;
  • Definição e manutenção do controle de acesso aos recursos;
  • Instalar, configurar e atualizar programas antivírus e anti-spywares;
  • Criação e manutenção de rotinas de backup;
  • Instalar, configurar e manter os sistemas operacionais;
  • Instalar, interligar e manter a comunicação digital (e-mail, mensageiro corporativo, WEB, FTP, VPN, VOIP, vídeo-conferência, telefonia etc);
  • Instalar e manter sistemas de gestão (ERP);
  • Instalar e manter sistemas de banco de dados (SGBD);
  • Suporte aos usuários da empresa, auxiliando no uso dos recursos computacionais e  nas tarefas rotineiras da função alheia, vulgo “técnico em informática, psicólogo, pedreiro, faz tudo… etc” (quem é da área entende o que estou falando! :p)

Veja algumas matérias relacionadas ao assunto, sobre a Regulamentação da Profissão de Informática:

Proposta da SBC (Sociedade Brasileira de Computação)

Blog do Vasco

Software Livre Brasil

Espero que apreciem o post e que tenham somado algo útil ao conhecimento de vocês. Essa série de matérias será postada semanalmente, todas as quartas-feiras (assim espero). Tentarei colocar aqui entrevistas com profissionais experientes em cada área de atuação, para elevar ainda mais a qualidade das matérias. Forte abraço a todos, e até o próximo Profissão: TI.

Profissão: TI… aguardem

Mundo DigitalMuito boa tarde gente de todos os estados, etnias, religiões, amantes do Linux, Windows ou Mac. Esta semana o Domínio TI irá estrear a série de matérias sobre profissionais de tecnologia; o “Profissão: TI” irá mostrar as principais características e perfis de profissionais que trabalham com tecnologia da informação, os cursos, certificações e especialização para os cargos, mercado de trabalho, entrevistas com profissionais de cada área, enfim, tudo para você que ainda não se decidiu sobre qual carreira seguir, analisar melhor as alternativas nesse vasto e abrangente mercado de TI.

Está previsto para estrear nesta quarta-feira (23/09/09), a primeira matéria da série, que apresentará o Analista de Suporte Técnico. Não percam, essa série será sensacional! Conto com a presença de todos. Forte abraço e ótima semana a todos!

%d blogueiros gostam disto: