Saiba como pedir aumento no pós-crise

Chefe muquiranaUma dúvida que permeou a vida de muitos profissionais durante a crise foi: será que devo pedir ou não aumento? Se alguns engavetaram seus pedidos, passado o cenário de turbulência, certamente o assunto voltará à tona.

Independente de qualquer situação, pedir aumento não é uma tarefa fácil. Dá trabalho e exige um exercício de paciência. Em primeiro lugar é preciso levantar informações sobre o seu desempenho e sobre o mercado, além de propor metas para o período posterior ao aumento.

Isso se traduz com relatórios que permitam ao gestor mensurar o valor que o profissional traz para a empresa. Qualidade e valor são muito intangíveis na cabeça do chefe.

Planejamento e análise são palavras-chave para ser bem-sucedido nessa situação. O argumento “eu preciso de um aumento porque sou um bom funcionário” não basta.

Em primeiro lugar, é preciso mostrar para o chefe que você está fazendo a sua parte e um pouco mais. Por isso, é bom que seu pedido tenha indicadores, como 15% de redução de tempo de implementação de projetos ou 20% de aumento na satisfação dos clientes.

Eu, produto?

As  pessoas devem aplicar em suas carreiras o conceito dos cinco “P’s” do marketing – produto, preço, praça, pesquisa e promoção. É preciso ter consciência disso ao longo de toda a carreira, não só quando se pretende mudar de emprego ou ter um aumento.

Como produto, o profissional deve avaliar sua formação e experiência, além de cursos, idiomas, atualização e avaliações de desempenho. Também é preciso levar em conta habilidades como trabalho em equipe e relacionamento interpessoal.

O valor do profissional é o quanto ou o que ele é capaz de resolver sob o ponto de vista do empregador, relacionando esse aspecto ao primeiro “P”, preço. Some a isso à média salarial da região onde a profissional atua.

Uma regra seria pensar que quanto mais minhas competências agregarem valor ao negócio, mais chances de aumento eu terei.

Outro ponto importante é a pesquisa. Cabe ao profissional buscar informações no mercado e na empresa sobre a média salarial de outros profissionais.

Com isso, ele também descobrirá empresas que estão em busca de perfis como o seu, o que criará novas possibilidades, no caso de uma possível negativa de reajuste.

Fazendo uma analogia com promoção, o profissional tem que aproveitar reuniões e e-mails para se comunicar bem, apresentando boas idéias e contribuições que façam diferença para a empresa.

Os profissionais de TI tendem a usar muitas siglas, o vocabulário fica reduzido. Muitas vezes, isso prejudica o conteúdo da mensagem.

O conceito de praça se aplica a todo local onde o profissional pode se mostrar, seja em cursos, seminários, festas de confraternização, corredores da empresa e até no cafezinho.

É importante que o profissional não deixe para conversar com o superior sobre reajuste salarial apenas quando receber uma proposta do mercado. Se você está onde gosta de trabalhar e o problema é salário, não vá procurar no mercado, tenha uma boa conversa com seu gerente.

Fonte: COMPUTERWORLD

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: