O verdadeiro marketing pessoal

Muitas pessoas ficam em dúvida quando o assunto é marketing pessoal. Será esta ferramenta indispensável para as pessoas que desejam se destacar nos campos profissional e pessoal composta por carros de luxo, roupas de grife, finais de semana badalados em cenários de cinema, em lugares caros e requintados, viajando para todo o mundo a passeio, e ainda ser notícia em diversas colunas sociais? A resposta é simples: não.

Primeiro, vamos entender o que é o marketing pessoal. Ele utiliza os conceitos do marketing, ou mercadologia, em benefício de cada indivíduo, através de uma estratégia pessoal e bem definida, e que precisa ser, acima de tudo, sustentável. O profissional que deseja planejar suas ações e investir em sua imagem, conta, hoje em dia, com consultorias capazes de realçar os pontos fortes das pessoas, de forma sustentável, visando o crescimento pessoal e os avanços na carreira.

Passamos ao ponto de partida: qual nosso objetivo? Onde queremos chegar? O que queremos obter? Definido este caminho, começa um trabalho que vem de dentro para fora. Educação, atitude, etiqueta, equilíbrio, sinceridade, carisma e honestidade são alguns dos ingredientes do marketing pessoal que devem acompanhar toda a “embalagem” que buscamos para o convívio social.

De nada adianta carros, roupas e colunas sociais, se o profissional, por exemplo, age com falta de educação – ofendendo todos à sua volta em crises de estresse – ou não sabe se portar em um evento – comendo e bebendo exageradamente. O mesmo acontece quando, na vida pessoal, criamos um personagem para conquistar alguém: perfume, jantar, roupas, vinho, tudo impecavelmente preparado, mas na hora de abrir a boca, a pessoa que está do outro lado da mesa não encontra conteúdo, sinceridade, valores e o mínimo de etiqueta.

É claro que estar bem vestido, cabelos arrumados, roupas limpas e passadas, higiene pessoal em dia é importante, mas só embalagem não basta.

Todo profissional que busca ascensão no mercado corporativo já ouviu falar de marketing pessoal. A procura por fórmulas mágicas tornou-se um grande atrativo. Embora se pregue que somos um produto, precisamos lembrar que somos humanos e temos sentimentos, comportamentos, crenças, valores, cultura. Tudo isso influencia diretamente na decisão de fazer ou não marketing pessoal.

Com tantas “fórmulas”, é muito fácil hoje reconhecer um “marqueteiro”, denominação dada àqueles que querem criar uma imagem que, na verdade, não corresponde ao conteúdo. Ao pensar em marketing pessoal devemos lembrar que nossa cultura valoriza a humildade e que ela aparece como principal inimigo daqueles que de uma forma não trabalhada procuram se sobressair.

É essencial saber praticar o marketing pessoal. Mas o que impede alguém de falar sobre seus sucessos comprovados e mostrar os seus talentos? Por que escondemos muitas vezes o nosso cargo ou ainda a promoção? Podemos arriscar várias respostas, entre elas: não querer ser arrogante, temer que as coisas dêem errado ou até mesmo por não se sentir merecedor de tal cargo ou promoção.

Então, com tantas características, somos bem diferentes de um produto de prateleira, afinal, ninguém vai achar um produto “prepotente”. Aprender a fazer marketing de uma forma elegante e usar uma mensagem subliminar é fundamental. O objetivo é parecer e ser competente e não arrogante.

Um bom começo é o desenvolvimento pessoal. Na verdade, marketing pessoal exige evidência. Agora, antes de pensar em aparecer, pergunte-se se você tem algo para mostrar.

O marketing pessoal, sem dúvida, abre portas, mas é o desempenho profissional que vai garanti-lo nessa oportunidade. Por isso, é necessário criar uma imagem baseada em fatos e de fácil comprovação.

Seguem algumas dicas importantes:

1- Conheça seus limites e limitações;

2- Participe de eventos que sejam vitrine para suas competências;

3- Relacione-se de forma verdadeira com as pessoas e não somente quando necessitar de um favor;

4- Conheça o mercado em que quer atuar, para verificar se está compatível com o que você tem a oferecer;

5- Aceite-se como merecedor de suas conquistas pois, só assim, vai valorizá-las e, conseqüentemente, as pessoas ao seu redor também.

Fontes: RH Carreira e Business Blog

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: