Início > Tecnologia da Informação > A morte do tradicional departamento de TI

A morte do tradicional departamento de TI

De tempos em tempos, algum guru da área anuncia a “morte da TI”. Tem sido assim há muitos anos. No entanto, mesmo com a queda nos orçamentos de tecnologia da informação em 2009 e o encolhimento do mercado fornecedor, os departamentos continuarão existindo. Certamente haverá mudanças em especializações técnicas e atribuições de gestores, mas esses profissionais ainda permanecerão no topo da hierarquia corporativa por muito tempo.

A disponibilidade de serviços gratuitos, atrelada à convergência entre tecnologias voltadas a usuários finais e empresas e à demanda excessiva pela terceirização de baixo custo indica que, realmente, o modelo tecnológico ao qual estávamos acostumados há dez anos não existe mais. Porém, levanta também a questão: Como será a configuração dos departamentos de TI e o papel de seus líderes?

A resposta exata à pergunta ainda não sabemos, mas já temos acesso a algumas pistas que indicam a direção para a qual os gestores de tecnologia devem se voltar. Entre elas, estão algumas mudanças recentes nos modelos de gestão da TI e que devem ser avaliados por todos que almejam uma carreira de longo prazo na área.

O departamento de TI encontra-se em uma encruzilhada. Grandes funções que até pouco tempo atrás eram consideradas estratégicas, como suporte aos usuários por exemplo, atualmente são vistas como commodities. E isso não é uma tragédia para os CIOs, já que simplesmente significa que todo o tempo e energia designados a determinadas tarefas podem ser poupados, já que um prestador de serviços pode fazer o mesmo com mais eficiência e menos custos.

Simultaneamente, outros segmentos da TI estão passando a ser vistos como tão estratégicos que determinam o sucesso ou não de muitas empresas. Entre eles estão, principalmente, as iniciativas de virtualização e projetos voltados às comunicações unificadas. De forma mais abrangente, é possível afirmar que atualmente os departamentos de tecnologia são mais capazes de transformar organizações e gerar vantagens competitivas do que nunca.

O desafio de analisar dados em tempo real e utilizá-los para criar oportunidades é uma das principais dores de cabeça dos CIOs atualmente.

No ambiente corporativo, essa demanda está aparecendo de maneira cada vez mais latente, sem que os gestores de TI saibam como lidar com a questão de assegurar o tráfego de dados, com a segurança das informações  e com a integração dos dispositivos móveis aos sistemas de gestão. Agora, que comecem as apostas para saber se a solução virá de uma fórmula commoditizada ou desenvolvida estratégica e exclusivamente para cada companhia.

Fonte: iMasters

  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: