Início > carreira, Corporativo, Profissional, Tecnologia da Informação > TI e profissionais precisam de equilíbrio

TI e profissionais precisam de equilíbrio

O mercado de TI está disposto a receber profissionais que procuram desafios e não apenas o retorno financeiro.

Existem basicamente dois tipos de profissionais: os que buscam recompensas rápidas e ascensão profissional e os que buscam crescer apoiados nos valores das empresas e desafios impostos pela profissão.

Na área de TI, ganha o segundo grupo. As empresas procuram quem compartilhe os mesmo valores e cultura e que estão não apenas interessados nos benefícios financeiros. Uma versão humana da empresa é o sonho de qualquer gestor de recursos humanos.

Os diferenciais já não são mais os mesmos. Por exemplo, o profissional deve conhecer mais línguas além do inglês, que já é considerado algo básico nos currículos. Um candidato com fluência em espanhol ou alemão tem muito mais chances de ser bem sucedido.

Outro ponto importante levantado é a necessidade de integração do funcionário com a companhia, que deve escolher cuidadosamente os nomes que vão ocupar os cargos, tanto para cargos mais altos, quanto para apostas em novos talentos.

Quando o projeto requer um consultor sênior, a empresa de TI terá que recorrer a um profissional experiente com grande bagagem. Se a intenção é desenvolver novos talentos, a melhor opção é investir em profissionais recém graduados, que aceitam qualquer desafio para se destacar dentro da empresa.

Os candidatos devem ter certeza de que estão preparados para fazer parte da organização. Já as empresas devem aplicar todos os testes técnicos necessários para garantir a contratação dos melhores talentos. Em resumo, a seleção e contratação de profissionais exigem grande esforço, atenção e, principalmente, garantias. Talvez o descompasso de interesse seja um dos motivos de existirem vagas abertas com profissionais desempregados.

Fonte: INFO Carreira

  1. 06/02/2010 às 7:13 PM

    Desculpe pela minha acidez: isso é blablablá de revistinha meia-boca de banca. São raras as empresas brasileiras que preocupam-se, de fato, com o capital intelectual. Via de regra, contratam profissionais pelo menor preço possível, lhes dão a menor condição de trabalho possível e querem o maior retorno imaginável.

    Você consegue conceber um time de desenvolvimento que usa monitores de 14″ CRT para desenvolver aplicações gráficas? Ou um time de desenvolvimento que precisa trabalhar on-site com notebooks emprestados e ultrapassados? Essa é a realidade do mercado brasileiro, infelizmente.

  1. 13/06/2011 às 4:19 PM

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: