Arquivo

Archive for the ‘HTML 5’ Category

Google anuncia o fim do suporte ao IE6

Ontem (29/01/2010), em comunicado oficial, o Google afirmou que a partir do primeiro dia de março, os produtos Google não funcionarão mais no Internet Explorer 6. Em outras fontes, a data informada é 10/03. O comunicado veio duas semanas depois que uma falha no IE6 levou a ataques contra o Google e outras empresas americanas. Segundo dados da StatCounter, apesar do número de usuários do browser ter diminuído desde o lançamento do IE8, 13,5% dos usuários de internet ainda utilizam IE6.

Os primeiros serviços a serem afetados serão o Google Docs e Google Sites.

O Google aconselha seus usuários a atualizarem suas versões de navegadores a uma das opções mais recentes: Microsoft Internet Explorer 7.0, Mozilla Firefox 3.0, Google Chrome 4.0 e Safari 3.0.

“A web evoluiu nos últimos dez anos”, começa o texto. “De simples páginas de texto a aplicativos interativos que incluem vídeos e voz. Infelizmente, browsers muito antigos não podem rodar muitas dessas novas funcionalidades adequadamente”.

A empresa afirma também que estará descontinuando o uso de browsers que não tenham suporte de seus fabricantes.

Os usuários que insistirem em utilizar o navegador inseguro receberão uma mensagem de alerta avisando que funcionalidades básicas dos serviços não são mais compatíveis com o navegador.

No blog oficial do Google, Rajen Sheth, gerente de aplicativos sênior do Google, sugeriu que os usuários façam o upgrade do IE6 para o IE8 ou mudem para qualquer navegador mais moderno (e seguro), no caso, o Firefox, o Opera ou o Chrome.

Informações de Google Enterprise Blog

[Profissão: TI] Web Designer

WebdesignerWebdesign é um dos mais rentáveis ramos de negócios e um dos mais competititvos na área digital atualmente. Com a ascensão da internet ocorrido nos últimos anos, o webdesign tornou-se uma opção de emprego muito interessante para os profissionais de tecnologia, mesmo como uma atividade temporária. Além da demanda por esse trabalho estar se tornando cada vez mais crescente a medida que o mercado da internet se torna mais presente, é uma atividade que pode ser realizada mesmo em casa, ou qualquer lugar equipado com um micro conectado à grande teia.

Devido a alta demanda por essa atividade, existem muitos aspectos que tem que ser levados em conta no que se refere ao webdesign, que determinam o que é um trabalho bom. É muito importante analizar qual o propósito do cliente para criar um website que se encaixe em suas necessidades. Baseado nessas necessidades, o designer deve criar uma boa estrutura de site, uma tecnologia que combine com o propósito da página e o layout, que é um aspecto muito importante, já que é a primeira impressão para os visitantes.

Entretanto, a maioria dos webdesigners falham em se focar somente no layout, esquecendo que a funcionalidade é o aspecto mais importante depois de tudo, principalmente para websites comerciais. Um webdesign que é limitado a muitos elementos gráficos e animações pode ser visualmente atrativo, mas sem funcionalidade, o website não está completo. Outro aspecto muito importante do webdesign é a organização do conteúdo de acordo com as necessidades do visitante. As seções em um bom website dever ser concisas, completas e oferecendo informações precisas. Muitos websites falham ao tentar oferecer uma enxurrada de informações, sem esclarecer os pontos essenciais.

No que diz respeito a estrutura do website, especialistas em webdesign devem se concentrar em uma navegação confortável. Os visitantes devem encontrar a informação ou o link que precisam facilmente e rápido, com poucos cliques. Com isso em mente, podemos concluir que ainda que o nome sugira que webdesign se refira apenas a parte visual da construção do website, ele envolve muitos outros aspectos que são igualmente importantes para o sucesso do site.

A internet também oferece muita informação sobre ferramentas e estratégias de webdesign. Como essa atividade algumas vezes requer mais criatividade e visão do que conhecimento profissional, a pesquisa é essencial.

Funções

  • Analisar o ambiente de tarefa da empresa ou cliente;
  • Desenvolver páginas estáticas ou dinâmicas;
  • Desenvolver layouts personalizáveis, que se ajustam a realidade da empresa;
  • Desenvolver painéis de controle e gerenciadores de conteúdo, para facilitar a manutenção do site e a independência do cliente ao inserir novos conteúdos;
  • Captar tendências e canalizar para as páginas produzidas, de forma a rentabilizar a empresa e seu portfólio;
  • Solucionar problemas de compatibilidade e tentar aumentar o alcance às informações, fazendo uso da arquitetura de informações.

Formação e Mercado de Trabalho

Para se tornar webdesigner não é necessário formação superior. Uma das opções de formação em webdesign é oferecida pelo SENAC-SP. O curso de Técnico em Informática para Internet, possui duração de 6 módulos, que vão desde Web Editor, passando pelos módulos de Web Master, Web Developer até Gestão Empreendedora, que visa aplicar ao aluno táticas para identificar oportunidades através da geração de idéias.

Outro tipo de certificação é o MCWD (MULTIMEDIA CERTIFIED WEB DESIGNER) da Adobe, que prepara o candidato para as certificações ACE (Adobe Certified Expert: Flash CS4 e Dreamweaver CS4 Developer)

O salário de um webdesigner com conhecimento em programação, segundo a tabela salarial da Info, gira em torno de R$ 3.800 à R$ 5.500. Um estagiário, iniciante na área, começa com cerca de R$ 600.

Veja mais detalhes sobre essa profissão neste vídeo elaborado pelo Olhar Digital:

IE reluta sobre a adoção do HTML 5

Internet Explorer 8Representantes brasileiros da Microsoft revelam cautela na adoção do HTML 5, que chega em 2010.

Durante o evento Café com Browser, promovido pela W3C Brasil (World Wide Web Consortium), hoje, em São Paulo, os responsáveis pelo desenvolvimento do Internet Explorer afirmaram que o browser caminha em direção da adoção dos padrões comuns da web, mas tem cuidados redobrados devido ao grande número de usuários do seu software.

O evento que já recebeu representantes da Mozilla Foundation e do Opera em suas edições anteriores, visa discutir o posicionamento das empresas em relação aos padrões da web e suas novas implementações.

“Não podemos simplesmente virar um chavinha e mudar de forma drástica a experiência do usuário e do desenvolvedor. Caminhamos em direção às novas normas, mas precisamos mitigar os riscos”, Pedro Bojikian, gerente de produto do Internet Explorer.

“Sabemos dos problemas causados pelas migrações entre as versões anteriores do browser, e estamos nos esforçando para que o desenvolvedor não precise escrever um site diferente para cada browser”, completou Bojikian.

Como representação desse esforço, foi mostrado o recurso do botão de retrocompatibilidade do Internet Explorer 8 com a sua versão anterior, e também algumas funções do IE 8 que já utilizam recursos presentes entre as novidades do HTML 5.

São funções para melhor utilizar serviços da nuvem, como a navegação inteligente que usa o botão Voltar para acessar recursos dentro do serviço sem voltar para uma página anterior e sair do programa online. Outro recurso do HTML 5 já adotado pelo IE 8 é o carregamento inteligente da pagina, que permite trabalhar offline com serviços baseados na web-based.

Na minha opinião pessoal, a Microsoft não adere à novos padrões, porque ELES QUEREM SER O PADRÃO. Uso Windows há muito tempo, gosto e sou evangelista. Mas minha opinião está começando a mudar, visando as tendências do mercado, assistindo a palestras sobre o assunto e observando o avanço nos recursos do Ubuntu e Fedora. Um amigo meu da USP disse certa vez que foi aderindo ao uso de softwares livres, como o Firefox e Thunderbird, em substituição ao IE e Outlook, que ele começou a gostar de Linux, e hoje é referência entre os profissionais da comunidade. Essas atitudes da Microsoft em relação à mudanças me faz refletir se é este realmente o futuro. Citando uma frase dita por um palestrante do Circuito Senac de Tecnologia da Informação, nada me espanta se a Microsoft anunciar que o Windows 7 é free ou livre no seu lançamento.

Categorias:HTML 5, Internet

HTML 5 já é uma realidade

Muito bom dia honoráveis leitores! Em uma das minhas “serchadas” pelos blogs da Locaweb à procura de respostas/soluções para os problemas com a hospedagem de e-mail, que vem sofrendo por mais de dois meses de instabilidades diárias (só pra constar), encontrei um post no UX Blog sobre HTML 5 bem interessante. A apresentação em slides retrata o que será este novo conceito de desenvolvimento e navegação na Web. Confira abaixo os slides produzidos por Andrew de Andrade, PO (product owner) do Cloud Computing da Locaweb:

%d blogueiros gostam disto: