Arquivo

Archive for the ‘Liderança’ Category

Tenha tempo para cultivar sua rede de contatos

Após exercer muito bem o seu trabalho, um dia o profissional é promovido à líder ou gestor de departamento. Nesse momento, seus focos passam a ser as pessoas da equipe, os processos, as rotinas e, principalmente, os prazos. Fazer contatos e cultivar sua rede de relacionamentos são ações para as quais nunca se tem tempo. Assim, cada vez mais, o líder vai isolando-se das pessoas de fora e dentro da empresa.

Essa situação é muito comum, pois o profissional evolui hierarquicamente na empresa, graças ao seu domínio técnico e ao empenho, não raro, “sobre-humano” na execução das suas metas. Não criar redes de contatos profissionais é condenar-se ao fracasso, seja no êxito do papel de líder ou na influência da sua posição.

Os professores Mark Hunter e Herminia Ibarra, do Insead/França, identificaram três formas distintas, mas interdependentes, de fazer contatos: Operacional, Pessoal e Estratégico. Veja na tabela abaixo um resumo desse estudo:

É importante que o profissional faça uma lista das principais pessoas com as quais se relaciona cotidianamente. Em seguida, classifique se é um contato Operacional, Pessoal ou Estratégico. É muito comum, neste planejamento se deparar com a maioria dos contatos Operacionais e poucos nomes no grupo Estratégico.

Lembre-se: o sucesso profissional depende do que você sabe e é ampliado pela quantidade de pessoas que você conhece. Porém, você precisa manipular com cautela suas amizades e aos poucos aprender que quantidade nem sempre significa qualidade. Mantenha muitos, porém bons contatos e sempre os tenha próximos a você.

Forte abraço e ótima semana.

Fonte: BLOG Mochileiro Corporativo

Liderar é um ato de humildade

O caráter das pessoas é fundamental para a construção de uma sociedade próspera. Há dentro do ser humano, um instinto de autopreservação que o faz comportar-se de maneira egoísta, mas que ele desenvolve bases morais que permitirão que cada pessoa cuide do coletivo ao cuidar de si mesma.

Líderes admiráveis vivem em função do grupo

Por isso, líderes admiráveis não demonstram ter agenda pessoal, pois vivem em função dos objetivos que pertencem ao conjunto. A principal marca desse líder é a humildade.

Ser humilde significa aceitar seus limites, respeitar as diferenças, reconhecer os méritos do outro e, acima de tudo, ter a consciência do quanto ainda tem para aprender. A humildade do líder se manifesta, ainda, por uma de suas marcas mais fortes: a disponibilidade.

Quer dizer que é o líder que está à disposição da equipe, e não o contrário, o que aumenta significativamente o comprometimento de todos. Visto por esse ângulo, liderar é um ato de humildade.

Os sistemas políticos e econômicos só são sustentáveis se tiverem alicerces morais, e toda transação comercial tem o desafio de ser benéfica para ambas as partes. Relações humanas de qualquer natureza não se sustentam se construídas em pântanos de arrogância e menosprezo, mas crescem e duram quando edificadas no terreno sólido da humildade e da humanidade.

Belíssimo texto extraído do Você S/A

Experiência Profissional x Idade

Há alguns posts, discutimos aqui no Domínio TI sobre como usar a experiência a seu favor para conquistar oportunidades no mercado de trabalho. Foi abordado também a diferença entre “experiência” e “tempo de experiência”. Hoje iremos falar sobre a experiência profissional versus idade. Veremos se o fato de ter pouca idade interfere na visão sobre a experiência de um profissional. Acompanhe!

:::: Um dos maiores desafios que impulsionam os profissionais que estão entrando agora no mercado, a tão mencionada Geração Y (da qual faço parte) é o de conseguir quebrar paradigmas. Com perspicácia e insistência, pouco a pouco essa nova geração vai construindo o mundo sob uma nova ótica. Quantos costumes conseguimos alterar no ambiente profissional? Estamos repaginando o mercado de trabalho.

Quer maior exemplo do que Mark Zuckerberg, fundador do Facebook e bilionário antes dos 25 anos?

Aqueles que já passaram pela experiência de tentar modificar um cenário que se mantém estável há tempos sabem do que vamos descrever, pois é preciso saber provar nosso valor e competência para assumir a responsabilidade de tal mudança, mesmo com a pouca idade. Justamente neste ponto nos deparamos com mais um paradigma a ser quebrado: Por que ainda existe esta alusão à maturidade (no sentido propriamente de “mais idade”) como fonte de confiança e competência?

Na vida precisamos pagar certos pedágios para ter acesso a determinados tipos de coisas ou oportunidades. Escola, Graduação, Pós-Graduação e assim por diante, são nossos carimbos de acesso ao mercado de trabalho. Mas como toda evolução nos trás sempre novos olhares e descobertas, hoje em dia o processo de capacitação do profissional esta se iniciando cada vez mais cedo e jovens profissionais já começam a dar as caras e se adiantarem em suas pretensões.

É neste ponto que, inevitavelmente, encontramos um conflito de gerações, e para saber lidar com esse tipo de conflito é preciso ter voz ativa, munir-se de informações, analisar comportamentos que te ajudem a nivelar, de igual pra igual, um diálogo com um profissional que está a mais tempo no mercado. Na era do fácil acesso ao conhecimento, a informação tornou-se banal, e diferenciados são aqueles que conseguem vender diariamente sua capacidade de fazer os outros acreditarem em você. E isso virá com o esforço e não com a idade.

Modele as informações que jorram ao seu redor e transforme-as em conhecimento. Este processo e como você faz uso dele é o que vai definir a sua experiência, e não a sua idade.

Leia também: Geração Y vs Baby Boomers

Informações de Minha Carreira

Use a experiência a seu favor

Em processos de seleção, a experiência é um dos fatores mais avaliados. Para analisar este conceito, é necessário eliminar qualquer tipo de preconceito.

Isso porque nem sempre um profissional de terno e gravata e com 15 anos de atuação irá gerar os resultados esperados, já que isso envolve outros aspectos, como adequação ao ambiente de trabalho.

É importante diferenciar experiência de tempo de experiência. A experiência acontece quando se aprende com o que se vive. O tempo de experiência pode ser considerado um facilitador para isso, mas não determinante.

Capacidade de adequação

A capacidade de adequação é um dos fatores importantes para adquirir experiência. Por isso, o profissional deve estar atento às tendências, para ser um dia, a partir do conhecimento adquirido, aquele que dita as regras. O desafio é explorar as oportunidades do presente para aprender com foco em resultados. Nunca se sabe tudo, muito menos o bastante.

Confira abaixo as dicas para o uso da experiência para moldar o crescimento de sua carreira:

  • Seja proativo: não espere que o tempo e a insistência tragam conhecimentos necessários, tenha iniciativa e adquira experiência;
  • Seja flexível: a capacidade de acumular aprendizado está diretamente ligada à capacidade de atuar como agente de mudança. O mundo corporativo está em constante mudança. Por isso, esteja atento a essas transformações e tenha o poder de se adaptar rapidamente;
  • Utilize o potencial de acúmulo de experiência: entenda que o indivíduo aprende constantemente e nem sempre é necessário esperar dez, 20 ou 30 anos para se julgar preparado;
  • Antecipe-se: tenha visão de futuro e invista no autoconhecimento.
  • Compartilhe: não há melhor maneira de testar o seu conhecimento do que ensinando aos colegas. Ensinar é aprender duas vezes.

Informações de InfoMoney

Não peça feedback, obtenha-o

Todo grande líder sabe que o feedback sincero daqueles que estão à sua volta é uma das principais ferramentas para melhoria e evolução de seu trabalho e de seu papel como líder. Receber e saber processar as críticas é fundamental para aprender e melhorar como líder, quando o feedback é um elogio é ainda melhor, nada mais prazeroso do que ter a certeza de que você está no caminho certo. É como ter um blog e chover comentários em seus posts.

Mas há um grande dilema: Como consigo o feedback sincero dos membros da minha equipe?

A resposta parece simples, afinal, basta perguntar. Sim, é mais ou menos por aí, mas deve-se tomar muito cuidado com o tipo de pergunta a se fazer.

A primeira regra que deve-se ter consciência é que nunca será possível conseguir feedback sincero com perguntas idiotas. Uma pergunta idiota geralmente é uma pergunta da qual você não quer ouvir a resposta, ou uma pergunta que você espera ouvir aquilo que você quer ou, até mesmo, uma pergunta cuja resposta é óbvia.

Pergunta idiota: perguntar ao Analista de Suporte em TI se ele entende de computadores.

Qualquer ser vivo pensante saberá a resposta do Analista. Se a pergunta é idiota, a resposta é mais ainda.

Isso não significa que a pessoa não queira te dar feedback, mas que há outras maneiras mais eficazes de se conseguir feedback. Não peça. Não faça uma solicitação em forma de pergunta direta.

Lembre-se sempre destas palavras, pois elas serão a chave para o seu sucesso como líder de qualquer time em qualquer área ou empresa, especialmente para se obter feedback sincero e colaboração das pessoas. Estas são as palavras mais poderosas que existem para obter cooperação: “Eu preciso de”. Essas simples palavras são capazes de mágicas e feitos surpreendentes.

Pedir feedback não significa que você irá consegui-lo, especialmente se o pedido começar com “eu quero“. Quando você diz a alguém de seu time que você “quer” algo, a primeira coisa que essa pessoa pensa é: “ah, claro, todos queremos algo que não podemos ter“. Mas se você começa com “Eu preciso de”, significa que você pensou sobre o que é necessário para alcançar o que você está pedindo e, para tal, precisa da ajuda desta pessoa. É incrível como as pessoas adoram sentir-se necessárias, saber que podem ajudar com algo, isso faz toda a diferença entre escutar uma resposta tola e conseguir um feedback sincero.

Aprendendo a obter feedback: Preciso de feedback específico sobre meu plano para que a próxima iteração dê certo.

Simples e indolor, certamente você terá muito a ouvir e aprender.

Um líder é qualquer pessoa que possa lhe dar apoio e orientação necessárias para alcançar seu objetivo. Às vezes o seu maior desafio como líder é saber onde e quando cada pessoa do seu time executará este papel, e cabe a você conseguir obter o feedback necessário destas pessoas.

Fonte: iMasters

Existe idade para ser chefe?

A imagem de que um empreendedor bem sucedido ou um alto executivo deva ser uma pessoa já com certa idade e experiência não condiz mais com a realidade. Segundo dados do consórcio internacional Monitor Global de Empreendedorismo (GEM), em 2008, dos 14,6 milhões de empreendedores brasileiros, 29,1% tinham entre 18 e 24 anos. Exemplos de jovens que deram certo apostando em suas escolhas não faltam. O exemplo mais recente é de três amigos, Romero Rodrigues, Rodrigo Borges, Ronaldo Takahashi, que criaram em 1999, quando tinham 22 anos e eram colegas de faculdade, o site de comparação de preços Buscapé. Em 2009, esse site foi comprado por um grupo de mídia com sede na África do Sul, por US$ 342 milhões.

Mas qual o segredo do sucesso de jovens empresários? Sangue novo, ousadia, disposição e vontade são algumas características facilmente atribuídas aos jovens empresários. Mas comandar um negócio antes dos 30 anos não é tão simples quanto possa parecer. A rápida ascensão na carreira tem suas vantagens, mas também tem as suas armadilhas e lidar com esses obstáculos requer muita vontade, maleabilidade e principalmente, maturidade.

Segundo a pesquisa “Juventude 30 Quilates”, realizada pela Viacom Networks Brasil, o que é mais importante na vida para 89% dos jovens brasileiros é ter sucesso profissional e para a geração Y (jovens que nasceram a partir de 1980), esse sucesso deve ocorrer rapidamente.

Mas é importante o jovem saber que antes de chegar a um alto cargo em uma companhia, ou ter sucesso em sua própria empresa, ele deve se preparar e não só estudando, cursando faculdade, pós-graduação ou MBA, o jovem deve, primeiramente, se preparar psicologicamente e emocionalmente. Ele deve se conhecer bem, saber quais são seus pontos fortes e principalmente, quais são seus pontos fracos, pois um jovem que é imaturo pode passar às pessoas que trabalham com ele uma imagem de arrogante, autoritário, inseguro, impulsivo, ansioso, imediatista e impaciente e essas características não são positivas para ninguém e para nenhum negócio.

Isso porque o jovem executivo tem que estar ciente de que encontrará pelo seu caminho muitos preconceitos e que seu trabalho será posto em prova inúmeras vezes. Por isso, somente com muito trabalho, dedicação e calma é que o jovem conseguirá passar segurança em seus contatos diários, seja com os funcionários da empresa ou clientes.

Para as empresas ter um executivo jovem no comando também requer certa maleabilidade. A empresa tem que passar confiança tanto para o novo executivo, quanto para os seus subordinados. Tem que dar tempo para que ele conheça os processos e se sinta confortável no cargo que ocupa e, ao mesmo tempo, a empresa deve mostrar à equipe que tem certeza da escolha que fez.

As companhias devem sempre investir em uma política que alie a experiência dos mais velhos à ousadia dos mais novos, tirando proveito da situação e fazendo com que uns aprendam com os outros, independentemente da idade ou do cargo que ocupam afinal, existem inúmeros pontos positivos de uma liderança jovem que se combinados com a sabedoria de executivos mais tarimbados resultarão em um modelo de gestão equilibrado e que poderá trazer muitos lucros para a empresa.

Fonte: Administradores.com.br

Quando os jovens estão aptos a liderar?


A liderança é uma das posições que exige muito da maturidade, por este motivo muito se questiona se os jovens estão aptos a terem funções que ordene liderança. Se espera muito mais conhecimento e experiência daqueles que estiveram a bordo em muitas turbulências. No entanto, ser jovem ou maduro, de certa forma, não qualifica ou desqualifica alguém para uma determinada função. Portanto, aí vão algumas dicas de como devem e como não devem agir os jovens que pretendem seguir a carreira de liderança.

1. Superar a falta de experiência: a liderança jovem tem que encarar logo de primeira esse desafio. Passar serenidade e confiança nos momentos de crise. É ai que vem duas competências importantes para o jovem líder, humildade e gestão de competências;

2. Posição x função: o olhar deslumbrado para o status faz com que muitos jovens busquem posições de liderança simplesmente pela posição, poder e destaque. Estar líder é uma situação, uma condição, uma oportunidade para construir;

3. Vaidade, status: o líder vaidoso não se desenvolve e não conquista o respeito da equipe, porque em geral, a partir do momento em que as pessoas percebam a vaidade, o efeito é exatamente o contrário, ou seja, rejeição;

4. Maturidade: a juventude, tanto quanto a maturidade, não pode ser vista de maneira extrema como virtudes ou defeitos utilizadas de forma extremada como critério de liderança;

5. Conceito: eficiência não pode ser confundida com perfeição. Existe uma tendência de extrapolar e perder a sensibilidade exigindo, cobrando e punindo. O estilo perfeccionista de liderar imprime um ritmo descompassado porque vive de pequenas e inadequadas avaliações.

Fonte: RHCentral

Chefe x funcionários: como manter um bom relacionamento

As relações entre líderes e colaboradores são caracterizadas por emoções como sinceridade, traição, fé, entre outras. Os chefes esperam que seus subordinados tenham qualidades profissionais, sinceridade afetiva e propriedade moral para realizar as tarefas e entregar os resultados. Mas como se mede a sinceridade e a fé na avaliação de desempenho?

Esta medida é subjetiva e pessoal e dependerá dos valores do líder, do colaborador e até mesmo da empresa. O que é tolerado em uma empresa, por outra pode não ser. O que é incentivado por um chefe pode ser condenado por outro.

Como solucionar este problema?

A solução para alinhar as perspectivas de ambas as partes é por meio de um diálogo franco. A confiança é necessária nessa relação, e esta deve ser recíproca.

Os chefes precisam ter confiança de que seus funcionários seguirão suas orientações e os colaboradores devem confiar que seu líder ouvirá suas sugestões.

Como manter um bom relacionamento

Para manter um bom relacionamento profissional, é necessário estar atento às atitudes e comportamentos dentro da empresa. É mais fácil mudar a sua própria maneira de se comportar do que esperar isso do outro.

Se já existe um problema de relacionamento, não espere que seu chefe tenha a iniciativa de discutir com você para resolver estas questões. Analise sua postura diante dele e tente pedir um feedback de quais pontos você pode melhorar.

Sempre faça com que o espírito de equipe evolua sobre a individualidade e trate o próximo como gostaria de ser tratado. Qualquer relacionamento se torna fácil com respeito recíproco, mas se torna insuportável caso queiramos. Sucesso!

Fonte: Administradores.com.br

Seu chefe te contrataria novamente?!

A resposta para esta pergunta pode te ajudar a perceber como anda a sua carreira e quais são as perspectivas futuras dentro da organização na qual você trabalha hoje.

Muitas demissões e frustrações profissionais poderiam ser evitadas se os profissionais se fizessem esta pergunta periodicamente: Será que o meu gestor está satisfeito com o meu trabalho? Conhecendo o meu talento e os meus pontos fracos ele me contraria novamente? A resposta quando é obtida com sinceridade pode ser muito dura para alguns mas este pode ser o primeiro passo para a mudança: a consciência de que algo não está bom e precisa ser melhorado.

A queda no desempenho profissional pode ter inúmeros motivos que vão desde questões salariais à problemas de relacionamento ou até mesmo de saúde. O importante é que o profissional faça esta avaliação periódica a fim de perceber possíveis baixas no seu rendimento e na sua motivação e tomar medidas para solucionar este possível problema.

Um bom líder que sabe acompanhar e orientar os seus comandados também é muito útil neste processo, entretanto, não devemos depender apenas deste tipo de avaliação, até porque nem todo líder tem esta competência. O profissional de sucesso sabe que é fundamental ter nas mãos as “rédeas” da própria carreira assim como todos nós passamos por fases de maior ou menor desempenho. O que não é bom, nem recomendável, é estar alienado a isto não tendo noção real de como a sua carreira está caminhando.

Então? O seu chefe contrataria você novamente? Pergunte à ele!

Fonte: Profissional de Sucesso

Firefox 3.5 é o mais usado no mundo

Olhem só a “novidade”: quem levou a melhor no ano de 2009 foi mesmo a raposa. De acordo com informações do site StatCounter, o Firefox 3.5  ultrapassou o Internet Explorer 7 e atualmente é o browser com maior número de usuários no mundo.

Um dos motivos desse sucesso foi o recente lançamento do IE8 que favoreceu o browser da Mozilla, já que houve uma divisão dos usuários do Explorer entre as versões 7 e 8.

No Brasil, a quantidade de usuários do Firefox 3.5 e IE8 quase empatam, já nos Estados Unidos, o empate é entre a versão do Firefox e o IE7, enquanto o IE8 está ainda na frente.

Todas juntas, as versões de IE ainda superam as versões do Firefox , mas de acordo com o StatCounter, os navegadores da Microsoft tem caído, enquanto o Firefox mantém seu ritmo de crescimento.

Fonte: Olhar Digital

%d blogueiros gostam disto: