Arquivo

Posts Tagged ‘emprego’

MCTI abre vagas para profissionais de TI

pesquisador-1O Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira (SiBBr) abriu seleção para contratação de quatro especialistas em TI. São oportunidades em ciências da computação, aplicação da informática em biodiversidade e webdesign.

Os novos colaboradores ficarão alocados no Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), ligado ao Ministério de Ciência Tecnologia, Ciência e Inovação (MCTI), em Petrópolis (RJ), iniciando o trabalho em abril.

O prazo final para envio das propostas é 10 de março. Os termos de referência, com pré-requisitos para cada vaga, como se candidatar e outras informações, estão disponíveis no site do SiBBr.

O sistema de informação integrará bancos de dados sobre a biodiversidade e ecossistemas brasileiros, subsidiando pesquisas científicas e a formulação de políticas públicas. É um projeto do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) com apoio técnico do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) e apoio financeiro do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF).

A Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e o LNCC são os principais parceiros do projeto, responsáveis pelo desenvolvimento e pela hospedagem do SiBBr.

Fonte: COMPUTERWORLD

Anúncios

Ocupar um cargo menor ao que tinha antes não significa retrocesso na carreira

Sair de um cargo e passar a ocupar outro menor não é necessariamente um retrocesso na carreira. Nem sempre é algo negativo. Pode ser uma adequação. Os impactos dessa decisão dependerão da empresa e da proposta do novo desafio.

A decisão de recuar um passo na carreira deve ser bem analisada pelo profissional e, em certa medida, pode ser até positiva. Isso mostra ao mercado que o profissional é flexível e acredita no seu potencial.

Os motivos da mudança

Nem sempre considerar abraçar um cargo menor hierarquicamente revela certo desespero do profissional que tenta se recolocar no mercado. As especialistas concordam que existem vários fatores que levam os profissionais a aceitarem propostas desse porte.

Entre eles, está a própria necessidade do profissional de mudar e enfrentar novos desafios. Pode ser uma mudança de uma empresa de pequeno porte para uma de porte maior.

Geralmente, um analista sênior em uma empresa pequena pode não conseguir a mesma posição em uma empresa maior. E isso é natural. Ele desce um degrau para avançar mais e dar um ‘upgrade’ dentro da empresa.

Independentemente dos motivos, nessa hora tanto os profissionais como as empresas devem avaliar bem cada caso. As empresas também precisam entender as razões que levaram esse profissional a se candidatar à vaga. É preciso visualizar toda a situação.

Em determinados casos, as empresas chegam a recusar a entrada de um profissional mais gabaritado para ocupar uma vaga hierarquicamente menor. Por isso, é preciso fazer uma avaliação dos dois lados e antes mesmo de o profissional começar a ocupar esse novo cargo.

Encarando os desafios

Não é fácil fazer essa transição. É sempre um momento delicado e é preciso estar preparado. E quem não estiver com foco e não tiver avaliado as possíveis consequências da mudança pode não conseguir levar a nova situação. Resultado: o desempenho cai e bate aquele desânimo.

Um ponto que ajuda muito nessa avaliação é o cuidado que se deve ter com ela. Quando está tudo muito bem amarrado, os riscos diminuem. Então, antes de decidir, entenda a empresa, os desafios.

Para além de entender as novas dinâmicas do novo desafio, os profissionais precisam encarar a situação como uma oportunidade de rever a carreira. Ele precisa perceber que é um momento de superação e avaliação. E, sobretudo, uma oportunidade de crescimento profissional.

Fonte: Administradores.com.br

Unesp abre seis vagas para assistente técnico administrativo

A Universidade Estadual Paulista (Unesp) lançou edital de concurso público para seis vagas de assistente técnico administrativo.

As vagas são para a área de computação científica, e treinamento e desenvolvimento de pessoal.

Veja o edital completo.

Os salários são de R$ 2.517,31 para jornada de 40 horas semanais.

As inscrições devem ser realizadas pela internet até o dia 13 de abril. A taxa é de R$ 44.

As provas serão aplicadas em Bauru, Presidente Prudente, São José do Rio Preto, São Paulo e Sorocaba (SP).

A avaliação está marcada para o dia 22 de maio.

Fonte: iG Carreiras

Mercado ainda não está propício para uma mudança de emprego

Analisando oportunidadesPassado o tormenta, muitos profissionais começam a reviver os planos de mudança de emprego. Mas até que ponto o cenário está de fato propício para mudar? Atualmente vem acontecendo o que especialistas chamam de “pretensão ilusória” e envolve os dois protagonistas do mercado, que tentam tirar proveito do pós-crise: empregado e empregador.

De um lado está o profissional que acredita ter agora novas oportunidades e uma remuneração mais atraente; de outro as empresas apostando que vão encontrar talentos por salários mais baixos. As companhias continuam com escassez de talentos, mas não querem pagar pelo passe. Resultado, muitas preferem contratar jovens em início de carreira e formá-los como alternativa para o cenário que foi criado em que se fala na falta de orçamento.

Um grande erro. A curva de aprendizado reflete em custo maior do que se a empresa optar por contratar um profissional pronto e preparado para já dar resultados. Para determinadas posições, não dá para esperar que o profissional seja treinado até ficar no ponto ideal.

Realidade que serve de alerta para os profissionais que pretendem se mexer em busca de um novo emprego. A tão falada retomada da economia ainda não aconteceu de fato e as perspectivas continuam obscuras. Portanto, cautela; talvez esse não seja o momento para mudar de emprego.

Olhar os aspectos financeiro e de carreira no médio e longo prazo são determinantes para um processo de mudança, sobretudo diante de um quadro de incertezas. O mundo é formado por ciclos, nada mais natural que as empresas passem por altos e baixos.

Agora as organizações estão revendo projetos, de olho em custo e se preparando pelo que está por vir. Como a economia caminha para a recuperação, a hora é do profissional fazer as apostas certas e tentar distinguir quais são as empresas que devem ganhar mercado. É importante avaliar de que forma elas vão se posicionar daqui para frente.

Fazer uma análise clara do que a nova empresa pode oferecer em termos de plano de carreira e salário é fundamental. Na área de TI existe uma série de  profissionais que trocam de emprego seduzidos por uma oferta financeira no curto prazo melhor e depois ficam estagnados. Vale a pena sair da zona de conforto agora e arriscar, mas com cautela e olhando se os ganhos podem se perpetuar no médio prazo.

Fonte: COMPUTERWORLD

Indicação é a melhor forma de conseguir uma vaga de emprego

Governança, Emprego, Liderança

A famosa rede de contatos, também conhecida como networking, tende a ser o meio mais eficiente para quem busca uma recolocação profissional. Um estudo realizado pelo portal de empregos Catho Online, com mais de 13 mil brasileiros, a maior parte das pessoas (28%) foi contratada graças à indicação de amigos – que trabalham dentro da empresa (17%) ou fora da organização (11%).

Os dados confirmam um levantamento mundial realizado pela consultoria norte-americana especializada em carreira Challenger, Gray and Christmas. No estudo, realizado com mais de 200 responsáveis pela área de RH, 48% dos entrevistados citaram o networking como a melhor maneira de buscar uma recolocação.

No estudo da Catho, a internet aparece como a segunda ferramenta mais utilizada para recrutamento no Brasil. Neste ano, o estudo mostra que 23,1% das empresas utilizaram a web para buscar profissionais, o que representa um acréscimo em relação a 2008, quando esse índice era de 21%.

Uma tendência detectada pelo levantamento é que quanto mais jovens os profissionais, maior a porcentagem de contratações por meio do uso de ferramentas oferecidas na internet. Da mesma forma, esse índice tende a ser menor quanto mais alto o cargo ocupado. No estudo, apenas 3,7% dos diretores e 6,1% dos presidentes foram recrutados a partir da web, enquanto essa porcentagem salta para 23,4% e 22,9%, respectivamente, no caso de estagiários e trainees.

Sobre o perfil de quem acessa os sites de emprego, em primeiro lugar aparecem os profissionais de recursos humanos, entre os quais, 63% deles afirmam utilizar esse tipo de ferramenta. Os entrevistados que atuam na área de TI, aparecem no quarto lugar entre os usuários da web para recolocação profissional, com 54,3% das respostas.

Fonte: COMPUTERWORLD

5 dicas para conseguir emprego com o Twitter

img_151092_social_1

Utilizar o Twitter como uma ferramenta para procurar empregos pode ser uma boa opção, já que ele oferece contato direto com diversos profissionais e empresas.

O microblog tende a aproximar especialistas de áreas em comum, o que pode ser uma vantagem para pessoas que buscam a recolocação profissional.

Lembre-se que essas dicas podem ajudá-lo a encontrar uma vaga, mas o melhor é associar essas dicas com um bom currículo colocado nas redes sociais específicas para quem procura um bom relacionamento profissional.

1- Fale sobre o seu campo

Se você conhece a área de atuação na qual quer trabalhar, então ofereça informações e dicas sobre como atuar na área. Parece estranho a princípio, mas o objetivo é atuar como um orientador, oferecendo ajuda aos seus seguidores.

Isso pode colocar o seu nome em destaque, gerando notoriedade suficiente para atrair a atenção de algum recrutador.

Se você quer entrar no mercado de trabalho e não tem conhecimento aprofundado sobre a área, procure estudar e postar os resultados de suas pesquisas no Twitter. Faça sempre perguntas coerentes sobre a profissão desejada e compartilhe o aprendido.

2- Mostre que você está procurando

Uma boa dica para quem está sem trabalho é deixar claro que você está procurando uma colocação no mercado. Cuidado para não exagerar e transformar o serviço em uma ferramenta de spam da sua intenção.

Procure sempre encaixar a mensagem em posts relevantes. Uma boa dica é montar um site com portfolio e colocar o link com um texto informando que você presta serviços em uma determinada área e que está procurando novas oportunidades.

Mas, antes de começar, tenha certeza de que você segue as pessoas e perfis certos.

3- Conecte-se com as pessoas certas

O ponto mais importante do plano é ter as pessoas e perfis certos. Saiba quem são os mais influentes no ramo e comece a segui-los. Tente participar de discussões enviando mensagens coerentes ao discutir sobre um determinado tema.

Com o tempo, essas conversas podem render mais respostas e você será identificado como um dos especialistas na área. Bons contatos, dentro e fora do Twitter, são essenciais para conseguir uma vaga. A diferença é que você vai cultivá-los digitalmente.

4- Encontros na vida real

Existem diversos grupos de contatos no Twitter que marcam eventos informais para se conhecer e debater sobre diversos assuntos, incluindo a área de atuação. Isso vai fazer com que você conheça de perto os “followers” e “followings”.

A interação pode levar essas pessoas a lembrarem do seu nome assim que uma vaga aparecer.

5- Ofereça ajuda

Utilize a ferramenta de buscas e procure profissionais que estejam testando seus projetos e empresas que necessitem de opiniões profissionais sobre produtos e serviços relacionados à sua área.

Isso pode levar a uma avaliação do seu perfil, para descobrir quem você é. Se você tiver os contatos certos e participou das discussões mais coerentes, suas chances de conseguir ser notado aumentam muito.

Fonte: Info

Recolocação profissional: diversifique as fontes de busca por oportunidades

Recolocação ProfissionalOs profissionais que buscam a recolocação no mercado de TI hoje, provavelmente receberam alguns conselhos conflitantes sobre o melhor caminho para seguir. Alguns colegas e amigos podem ter falado sobre redes online como o microblog Twitter. Outros podem insistir que eles não conseguirão sem indicação de alguém.

A realidade, no entanto, mostra que é difícil prever exatamente de onde o próximo emprego de  profissionais experientes virá. Eles podem passar horas mexendo no currículo para atingir diversos tipos de empresas, e acabar encontrando vagas em uma eventual conversa com o amigo do primo do vizinho. Por isso, ao explorar uma grande gama de caminhos, esses candidatos ganham uma vantagem sobre os concorrentes que apostam todas as fichas em apenas um rumo.

Escolha suas táticas
Tomar uma abordagem múltipla não significa seguir qualquer possibilidade de emprego. Pelo contrário: o grande número de formas de encontrar trabalho na área de tecnologia é essencial para selecionar cuidadosamente os métodos válidos para investir o tempo.

Toda fonte de emprego tem suas vantagens e desvantagens. É importante que o candidato tente estabelecer uma mistura de ferramentas – especializadas e gerais, grandes e pequenas, locais e nacionais, online e offline – e tenham em mente que, nas gerais, quanto menor e mais especializada a fonte, menos tempo deve-se passar peneirando caminhos irrelevantes.

O mesmo se aplica para o foco geográfico: o anuncio de “precisa-se” em uma publicação local de negócios pode parecer fora de moda, mas o foco local do negócio pode fazer com que valha a pena dar uma olhada.

Outro caminho para aumentar o alcance das oportunidades disponível é registrar-se em uma empresa especializada em recolocação executiva de TI. Essas companhias potencializam a busca por empregos. As relações com empregadores permite que elas se conectem a oportunidades de que muitas vezes não chegam a ser divulgadas.

Nunca pare com o “networking”
Se não tem um “melhor” caminho para arrumar um emprego, tem um conceito que ajuda em muitas buscas por trabalho: mantendo uma forte e ativa rede de contatos. Melhor do que procurar oportunidades, o profissional deve trabalhar para que as oportunidades o encontrem, estabelecendo uma gama de relacionamentos interpessoais diversificada – tanto online quanto offline, social ou acadêmica.

O networking também é a forma mais confiável de manter o pessimismo longe. Ouvir sobre o sucesso e fracasso dos outros pode ajudar a perceber se o candidato está procurando um emprego no contexto correto, em vez de uma reflexão sobre suas capacidades pessoais ou profissionais.

Veja também: Cinco redes sociais para arranjar emprego

Fonte: CIO

%d blogueiros gostam disto: