Archive

Posts Tagged ‘TI’

SERPRO oferece 360 vagas em todo o País

serpro

Foi publicado na última quarta-feira (27 de fevereiro), no Diário Oficial da União (DOU), o edital de abertura do Concurso Público 2013 do Serpro. A empresa organizadora do certame é o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe/UnB).

Neste concurso, serão oferecidas 360 vagas, sendo 213 (duzentas e treze) para o cargo de Analista e 147 (cento e quarenta e sete) para o cargo de Técnico, além de formação de cadastro de reserva para ambos os cargos. O salário inicial de técnico é de R$2.339,11 e o de analista pode chegar até R$5.203,90.

As vagas em destaque na área de TI são:

ANALISTA – ESPECIALIZAÇÃO:

– CARGO 1: ADMINISTRAÇÃO DE SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

– CARGO 7: DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

– CARGO 16: NEGÓCIOS EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

– CARGO 18: PROGRAMAÇÃO VISUAL

– CARGO 20: REDES

– CARGO 22: SUPORTE TÉCNICO

TÉCNICO – QUALIFICAÇÃO:

– CARGO 24: OPERAÇÃO DE REDES

– CARGO 25: PROGRAMAÇÃO E CONTROLE DE SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

O número de vagas e a localidade de cada cargo estão disponíveis no edital, e são para atuação nas cidades de Aracaju/SE, Belém/PA, Boa Vista/RR, Brasília/DF, Campo Grande/MS, Cuiabá/MT, Curitiba/PR, Florianópolis/SC, Fortaleza/CE, João Pessoa/PB, Maceió/AL, Manaus/AM, Natal/RN, Porto Alegre/RS, Porto Velho/RO, Recife/PE, Rio Branco/AC, Rio de Janeiro/RJ, Salvador/BA, São Luís/MA, São Paulo/SP, Teresina/PI e Vitória/ES.

Inscrições em março e provas em maio

As inscrições devem ser realizadas entre as 10 horas do dia 7 de março de 2013 e 23 horas e 59 minutos do dia 27 de março de 2013, observado o horário oficial de Brasília.

As provas objetivas estão previstas para ser aplicadas no dia 5 de maio de 2013 e as primeiras contratações dos candidatos aprovados devem ocorrer a partir de agosto deste ano.

Acesse o edital de abertura do Concurso Público 2013 do Serpro.

Fonte: SERPRO

MCTI abre vagas para profissionais de TI

pesquisador-1O Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira (SiBBr) abriu seleção para contratação de quatro especialistas em TI. São oportunidades em ciências da computação, aplicação da informática em biodiversidade e webdesign.

Os novos colaboradores ficarão alocados no Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), ligado ao Ministério de Ciência Tecnologia, Ciência e Inovação (MCTI), em Petrópolis (RJ), iniciando o trabalho em abril.

O prazo final para envio das propostas é 10 de março. Os termos de referência, com pré-requisitos para cada vaga, como se candidatar e outras informações, estão disponíveis no site do SiBBr.

O sistema de informação integrará bancos de dados sobre a biodiversidade e ecossistemas brasileiros, subsidiando pesquisas científicas e a formulação de políticas públicas. É um projeto do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) com apoio técnico do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) e apoio financeiro do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF).

A Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e o LNCC são os principais parceiros do projeto, responsáveis pelo desenvolvimento e pela hospedagem do SiBBr.

Fonte: COMPUTERWORLD

Certifique-se em TI gastando pouco ou nenhum dinheiro!

estudante

Por muito tempo, certificações em TI vêm sido debatidas por profissionais da área. Enquanto alguns acreditam que elas são a chave para um melhor cargo ou ascensão salarial, outros afirmam que elas só servem como status, e não comprovam a experiência e o conhecimento do profissional.

Para profissionais da área que estão em busca de certificação para colocar um “plus a mais” em seu currículo, há maneiras de se capacitar para as provas gastando pouco ou nenhum dinheiro.

É fato que o investimento em cursos para estudar para exames de certificação é, muitas vezes, de alto custo. E, além disso, depois de concluir as aulas, você ainda tem de pagar para fazer as provas. Em média, os valores dos exames variam entre US$ 150 à US$ 350 , por tentativa. Alguns fornecedores de TI, como a Microsoft tem promoções que diminuem pela metade o custo de inscrição, e algumas escolas de certificação oferecem a primeira tentativa do exame “grátis”. Mas, de qualquer forma, pode ser caro para muitas “realidades” de profissionais. Felizmente, há uma série de recursos livres e de baixo custo que podem ajudá-lo a estudar para realizar os exames de certificação.

Confira!

– Estude as possibilidades com seu empregador atual

Se você estiver em uma posição que sua empresa pode pagar por um curso de formação, fornecer materiais de estudo, ou outros recursos para obter certificações, não custa tentar. E mesmo que o empregador não banque, ele pode oferecer descontos e outras facilidades se forem membro de uma organização que oferece tais benefícios.

– Verifique os recursos de sua instituição de ensino

Se você está atualmente matriculado em um curso de TI, pode verificar se seu departamento acadêmico tem recursos disponíveis, como acesso gratuito a ferramentas de desenvolvimento de software, sistemas operacionais, bem como quaisquer descontos de computadores e hardware.

Aproveite as edições de software voltado para estudantes. E não se esqueça da biblioteca, onde você pode encontrar guias de certificação de estudo ou outros recursos úteis disponíveis e sem custo.

– Considere programas do governo

Verifique os recursos que as organizações governamentais estão oferecendo. O programa do governo Brasil Mais TI oferece periodicamente cursos gratuitos para profissionais de TI. Dos R$ 500 milhões do governo federal destinados ao TI Maior, uma parcela de R$ 1,4 milhão foi direcionada para capacitação de jovens talentos. Esses novos profissionais receberão treinamento à distância pelo portal do programa.

– Assine o Safari Books Online

Esta biblioteca digital “on demand” oferece uma coleção de mais de 20 mil títulos de tecnologia, que incluem mídia digital e livros de desenvolvimento profissional e vídeos da O’Reilly Media, Addison-Wesley, Peachpit Press, Microsoft Press e muito mais.

O conteúdo é em inglês e você pode ler e assistir vídeos no computador ou tablet. Depois de um teste gratuito de dez dias ou mil visualizações de páginas, as taxas variam de US$ 20 a US$ 43 por mês ou US$ 300 a US$ 473 por ano.

– Junte-se à IEEE Computer Society

Dedicado ao ensino técnico e colaboração, esse braço do Instituto de Engenheiros Elétricos e Eletrônicos nos Estados Unidos oferece inúmeros recursos que você pode usar para estudar.

O site conta com mais de 600 livros online via Safari Books, 500 livros online da Element K e descontos em livros sobre TI. Também oferece 4,3 mil cursos online para muitas certificações técnicas e de negócios e exames de proficiência da Brainbench.

O site tem diferentes planos para assinantes, que variam de US$ 49,50 a US$ 99 (para profissionais), a US$ 20 a US$ 40 (para estudantes).

– Participe de fóruns de discussão online

Quem melhor para obter conselhos de estudo e aprovação no exame de certificação do que outros que já passaram por isso? Os participantes de fóruns de discussão muitas vezes compartilham exatamente o que eles acharam útil ao estudar e fornecem um “feedback” geral sobre o exame.

Mas lembre-se que as questões exatas, provavelmente, diferem em cada exame.

Importante: obter ou publicar questões literais de exames geralmente é estritamente proibido por aqueles que aplicam os exames.

– Verifique se os fornecedores de TI oferecem recursos para certificação

A maioria dos fornecedores de certificação fornece pelo menos alguns recursos livres básicos no site que você pode usar quando estiver estudando. Embora você provavelmente não encontre profundidade em materiais livres, pode ter acesso a artigos, blogs, vídeos, webinars, fóruns de discussão e outros conteúdos que podem ajudar.

Por exemplo, a Cisco oferece o Cisco Learning Network, a Microsoft oferece o TechNet e o Microsoft Developer Network, a CompTIA o IT Pro Community e o CWNP provê acesso a recursos de aprendizagem sobre Wi-Fi.

– Procure cursos online gratuitos de universidades

A tendência crescente das universidades, incluindo o Massachusetts Institute of Technology (MIT), é oferecer aulas gratuitas online sobre temas de tecnologia. Embora a maioria desses cursos não é focada especificamente em certificações de tecnologia, eles podem ajudar na aprendizagem de uma variedade de tópicos em TI. A Coursera, por exemplo, realiza parcerias com várias universidades para oferecer cursos de sistemas de computadores, segurança e networking.

– Verifique o acervo da biblioteca pública de sua cidade

Não se esqueça da biblioteca local. Você pode não encontrar livros atualizados para todas as certificações de TI ou tópicos, mas não faz mal verificar. Também consulte o site da biblioteca e parceiros que possam oferecer uma seleção maior.

– Avalie o seu conhecimento com testes práticos

Não desperdice dinheiro para fazer um exame antes de estar pronto. Tire proveito de testes práticos para avaliar o que você sabe e o que precisa estudar mais. Apesar de as perguntas não serem as do exame real, elas devem cobrir temas semelhantes com base nos objetivos do exame.

Se você responder uma pergunta errada, tente compreender por qual razão a sua resposta está errada e as razões por trás da resposta correta. Uma rápida pesquisa no Google irá revelar muitos sites que oferecem esses testes, e você também pode encontrá-los em guias de estudo.

– Ganhe experiência

Embora os métodos tradicionais de estudo sejam uma parte importante da preparação para um exame de certificação, contar com experiência prática da tecnologia que você está estudando é essencial para obter uma compreensão mais profunda sobre o tema.

Obter essa experiência pode ser relativamente fácil para aqueles que trabalham com TI, mas pode parece assustador para os outros. Confira as dicas abaixo.

– Ferramentas de cloud

Para obter experiência prática sem ter de comprar e configurar o hardware necessário, considere o uso de nuvem. Por exemplo, o uso gratuito do Amazon EC2 Cloud permite acesso livre a plataformas Linux e Windows. Assim, você pode praticar comandos do Linux ou do Windows Server Administration. O Windows Azure oferece um teste de três meses que você pode usar para desenvolver software ou banco de dados.

– Virtualização, Linux e particionamento

Quando você precisa trabalhar com outro software de virtualização de sistema operacional, como VMware Player, Windows Virtual PC ou VirtualBox é possível executar também outro sistema operacional – e suas apps – direito dentro do Windows.

Para sistemas operacionais baseados em Linux, você também pode começar a partir de um CD, que não requer a instalação de disco. Se você preferir fazer uma instalação completa de um sistema operacional, pode criar um dual-boot no PC.

Abaixo estão algumas dicas sobre maneiras baratas de ganhar alguma experiência prática por especialidade.

– Rede

• Considere a criação de roteadores de código aberto ou livre como RouterOS, ZeroShell ou Endian para obter experiência de rede geral.

• Se você está estudando para uma certificação de rede – da Cisco ou Juniper, por exemplo – use emuladores para praticar comandos e simular configurações de rede. O código fonte aberto GNS3 Graphical Network Simulator, por exemplo, suporta Cisco IOS/IPS/PIX/ASA e Juniper JunOS.

• Para ganhar experiência com autenticação 802.1X ou para RADIUS, tente o open source FreeRADIUS ou o freeware TekRADIUS.

• Para a segurança da rede, considere fazer alguns testes de penetração em sua própria rede com o BackTrack.

– Administração de Windows

Além das ferramentas baseadas em nuvem relacionadas acima, a Microsoft oferece testes gratuitos de Windows Server, Windows Small Business Server e outros produtos. Você também pode se inscrever para ter acesso aos recursos do Windows Server no site TechNet da Microsoft.

– Banco de dados

Instale um servidor e manipule alguns dados, baixando a versão open source ou trial de seu banco de dados desejado, como MySQL, SQLite, PostgreSQL, Microsoft SQL Server, DB2, ou de produtos de banco de dados Oracle ou Sybase.

– Desenvolvimento de software

• Considere efetuar o download da versão de avaliação gratuita de 90 dias do Microsoft Visual Studio para configurar um servidor web com Apache, por exemplo.

• Alunos, educadores e instituições, também têm em mente o programa DreamSpark da Microsoft, que oferece ferramentas de desenvolvimento de forma gratuita. Uma vez que você se inscreve no DreamSpark também pode receber 90 dias de acesso gratuito ao curso de .NET para Pluralsight, que é oferecido por dez dias gratuitamente para o público em geral.

Fonte: COMPUTERWORLD 

A eterna luta da TI

Antes de iniciar, quero enfatizar um pensamento interessante extraído do texto: Não é suficiente ser eficiente… é preciso uma constante busca pela eficácia do uso da TI. Boa leitura, nobres colegas!

É  cada vez mais disseminada a idéia de que a TI pode trazer grandes  ganhos para as empresas. Nunca a TI esteve tão presente em nossas  vidas.  É simplesmente inimaginável pensar no cotidiano profissional ou  pessoal sem se valer de computadores (sejam desktops ou notebooks), smartphones, tablets,  todos devidamente conectados à Web. Com isto alguém pode imaginar que a  tarefa dos profissionais de TI seja mais simples ou mesmo mais fácil do  que foi no passado: ledo engano! As expectativas quanto aos resultados a  serem obtidos pelas aplicações de TI cresceram pelo menos na mesma  velocidade dos avanços tecnológicos. E mais: os usuários hoje têm um  conhecimento muito maior da TI, até porque ela esta presente na vida  pessoal de cada um deles.

Isto  implica em que a área de TI (e é claro, seus gestores) tenha que ficar  constantemente alerta e pronta para agir. Para ilustrar isto, vamos  recorrer novamente a analogias com fatos históricos e com a estratégia  militar.

Há  mais que 2000 anos, Aníbal (um brilhante general cartaginês) e seu bem  exército treinado (do qual a maioria das pessoas lembra pelo uso dos  elefantes) impingiram aos romanos uma imensa derrota na batalha de  Canas, que até hoje é estudada nas academias militares. Não somente  venceu como praticamente eliminou o exército inimigo. Depois disto,  acreditava Aníbal, aos romanos somente restaria a rendição nos seus  termos, pois a sua esmagadora vitória faria com que sua vontade de lutar  de Roma desaparecesse e também que os aliados dos romanos passassem  para o seu lado.

Para  a surpresa de Aníbal, os romanos redobraram seus esforços, recrutaram  novos soldados e se imbuíram de imensa determinação, além de demonstrar a  seus aliados que não deixariam de fazer nenhum sacrifício para vencer e  honrar suas alianças. Com isto, seus aliados continuaram fiéis e Roma reconstruiu  seu exército, sob novas lideranças e remodelando sua forma de lutar.  Alguns anos depois, sob o comando de Cipião, um general não somente  inteligente e capaz, mas também estudioso das táticas e estratégias de  Aníbal, o exército romano derrotou o grande comandante cartaginês em uma  batalha decisiva, vencendo a guerra para Roma.

Que  lição tirar disto? É óbvio que não existe (e nem deve existir) guerra  entre a área de TI e seus usuários, mas a luta está sempre presente. Por  vezes, ao final de uma longa e difícil implantação de uma nova  aplicação de TI, na qual os prazos e os custos estiveram dentro do  previsto e todo o processo tenha transcorrido bem, a área de TI acredita  que a luta terminou. O reconhecimento geral de um projeto bem sucedido  faria com que a área de TI fosse tratada de outra forma e somente  restaria aos usuários aplaudir tanta eficiência. Isto pode acontecer  durante certo tempo, mas a luta não pára e se os executivos da TI não  permanecerem atentos, o sucesso pode ser rapidamente esquecido.  Novas  exigências inevitavelmente surgirão e a área de TI deve estar apta para  dar respostas eficientes e eficazes.

Portanto,  não basta vencer uma batalha, por mais grandiosa que seja a vitória: é  preciso focar em vencer a guerra. Em outras palavras, não é suficiente  ser eficiente na implantação de um projeto de uma aplicação de TI: é  necessária uma postura de constante busca por eficácia no uso da TI, em  alinhamento com a estratégia de negócios da empresa. E como as  exigências têm sido cada vez maiores, os profissionais de TI têm que  estar de prontidão para dar sua contribuição para o sucesso da empresa.

Esta  postura da área de TI, não somente atendendo às demandas dos usuários,  mas também apresentando alternativas para a estratégia da empresa, se  mantida ao longo do tempo, é que permite uma boa relação com os  executivos do negócio e a obtenção de resultados que possam de fato  fazer a diferença para vencer a cada vez mais acirrada competição no  mercado.

Texto extraído integralmente de Administradores.com.br

Implantação do SPED – a segurança que você tem (ou que pensa que tem)

O Sistema Público de Escrituração Digital promove um notável aumento na rapidez e na segurança do processo contábil e fiscal. Mas a adequação ao SPED exige o correto entendimento da complexidade do sistema.

Como todos sabem, o SPED – Sistema Público de Escrituração Digital, que entrou em vigor em 2008, é uma solução de base tecnológica constituída por sistemas que permitem o envio da movimentação contábil e fiscal a uma base de dados compartilhada por quatro entidades fiscalizatórias: a Receita federal, as secretarias estaduais da Fazenda, o Banco Central e a Comissão de Valores Mobiliários. O SPED é constituído por três grandes subprojetos: a ECD – Escrituração Contábil Digital, a EFD – Escrituração Fiscal Digital e a NF-e – Nota Fiscal Eletrônica.

O SPED traz vantagens inegáveis à operacionalização de todo o ecossistema contábil e fiscal brasileiro: simplificação dos controles de administração tributária, aperfeiçoamento dos sistemas de combate à sonegação fiscal, redução dos custos da atividade tributária, redução do tempo de coleta de informações arquivadas, racionalização do processo, incentivo à equanimidade fiscal e tributária, para citar algumas. Mas, ao lado dessas vantagens, o SPED coloca para as empresas desafios igualmente grandes.

As mudanças trazidas pelo SPED são de tamanha magnitude que estamos diante de um caso típico de quebra de paradigma. A complexidade do Sistema Público de Escrituração Digital é de tal ordem que mesmo os especialistas na matéria se encontram freqüentemente diante de dificuldades de interpretação do texto constitucional. Podemos imaginar então a dúvida em que se encontram milhares de empresas Brasil afora, obrigadas, por força de lei, a se adequarem ao SPED. Porque, para essas empresas, as dúvidas não são conceituais, mas apresentam dificuldades totalmente práticas.

As dificuldades para o correto entendimento do SPED são de duas naturezas. A primeira dificuldade está no fato de que o SPED é um processo que ainda está sendo construído e, portanto, passível de mudanças durante a sua elaboração.

A outra dificuldade reside no entendimento superficial do texto constitucional. Na nossa experiência diária auxiliando clientes que estão em processo de adequação às exigências do Fisco, constatamos que muitas empresas acabam não cumprindo o mínimo necessário para efetivar essa adequação. Evidentemente, todos os pontos previstos pela lei são importantes e devem ser cumpridos. Quando falamos em exigências mínimas estamos nos referindo, por exemplo, ao fato de que uma nota fiscal eletrônica não precisa apenas ser enviada, mas deve ser devidamente guardada, suas informações precisam ser registradas de forma eficiente, entre outras coisas. Essa realidade, no entanto, frequentemente não é cumprida por muitas empresas. Situações como essa expõem a empresa ao Fisco de uma maneira que poderia perfeitamente ser evitada.

Se todas as empresas terão que se adequar ao SPED, isso não significa que esse processo acontecerá da mesma forma. Ao contrário. As empresas atuam em mercados diferentes, são de portes diferentes e enfrentam desafios diversos. Bons exemplos são registrados quanto a adequação para a Nota Fiscal Eletrônica. Por conta de questões logísticas, como o tempo que o caminhão deve ficar parado aguardando uma NF-e ou a antecedência com que o faturamento é realizado antes do momento do despacho, a adequação à NF-e deverá ser feita de uma maneira específica. Em função dessas particularidades, cada empresa deve ter o nível de automação correspondente. Devidamente orientadas, as empresas não apenas se adequarão ao SPED (ou à Nf-e) de forma correta, como não farão nenhum investimento desnecessário para isso.

Por Hugo Santos, Gerente Comercial da Pro Micro
http://spedseguro.ning.com/profiles/blogs/implantacao-do-sped-a

Cursos e palestras gratuitas contribuem para a sua carreira?

Aquela dica de que você precisa para se sair melhor no trabalho ou incrementar o seu negócio pode estar mais próxima do que se pensa. E melhor: pode ser de graça.

Diversas instituições de ensino ministram palestras e cursos gratuitos que podem agregar não apenas o currículo do profissional, mas principalmente conhecimento para a área em que se atua.

O valor que uma palestra agrega para o profissional ou o aluno depende do tema e do palestrante. Hoje muitas instituições oferecem palestras gratuitas de excelente qualidade e até debates. É bom estar atento e não ter nenhum preconceito por ser gratuita a palestra.

Algumas dessas palestras podem até mesmo ser mencionadas no currículo, desde que seu conteúdo agregue conhecimentos importantes à sua função.

Especialmente se o profissional tem pouca experiência na área onde quer atuar, ou é seu primeiro emprego, mencionar que frequentou determinadas palestras denota uma pessoa interessada.

É interessante também, que os profissionais participem de palestras gratuitas de instituições reconhecidas pela sua qualidade técnica e postura ética, ministradas por bons profissionais de diferentes áreas.

Uma excelente instituição que promove todo ano palestras de excelente qualidade técnica é a rede Senac de São Paulo. Todos os anos acontecem o Road Show de TI e o Circuito Senac de Tecnologia da Informação.

Uma semana inteira com palestras sobre diferentes atividades da TI, com professores e profissionais renomados e que contribuem muito para a formação dos alunos, futuros profissionais de TI e dos próprios profissionais já colocados no mercado de trabalho.

Este ano o Road Show de TI 2010 está agendado para os meses de Março à Maio, em várias unidades do Senac em todo o estado de SP. Espera-se também que aconteça o Circuito Senac de Tecnologia da Informação 2010 mais para o fim do ano, como é de costume no calendário da instituição.Vale a pena acompanhar e usufruir dessa oportunidade. O melhor, é totalmente free! 😀

Informações de iG Empregos

Quase metade das grandes e médias empresas do Brasil usam virtualização

A virtualização de servidores é usada por 42% das empresas de médio e grande porte no Brasil. A conclusão é da consultoria IDC, que realizou um estudo, no mês de outubro e no início de novembro, com 155 companhias no País.

Segundo a análise, mesmo os 48% de respondentes que não utilizam soluções de virtualização de servidores conhecem a tecnologia e como ela funciona. Fornecedores de soluções de virtualização ainda têm uma grande oportunidade de negócios no Brasil, porque as empresas estão em busca de ofertas do tipo.

O Brasil está consolidando sua base tecnológica para a próxima geração dos ambientes de TI, mais flexível, que é a cloud computing (computação em nuvem).

Um dos setores que investirá nesta tecnologia em 2010 é o bancário. Segundo estudo da IDC divulgado no fim de outubro, os bancos aumentarão os recursos destinados à TI no próximo ano. A virtualização aparece como um dos focos, junto com consolidação de servidores e convergência TI/Telecom.

%d blogueiros gostam disto: